24
Out 12

Ponderação

Ponderação

Diante do mal quantas vezes! ...

Desertamos do testemunho da paciência...

Criticamos sem pensar...

Abandonamos companheiros infelizes à própria sorte...

Esquecemos a solidariedade...

Fugimos ao dever de servir...

Abraçamos o azedume...

Queixamo-nos uns dos outros...

Perdemos tempo em lamentações...

Deixamos o campo das próprias obrigações...

Avinagramos o coração...

Desmandamo-nos na conduta...

Agravamos problemas...

Aumentamos os próprios débitos...

Complicamos situações...

Esquecemos a prece...

Desacreditamos a fraternidade...

E, às vezes, olvidamos até mesmo a fé viva em Deus...

Entretanto, a fórmula da vitória sobre o mal ainda e sempre é aquela senha de Jesus:

AMAI-VOS UNS AOS OUTROS COMO EU VOS AMEI!...



Bezerra de Menezes

publicado por galileu às 11:03 | comentar | favorito
13
Mai 11

ADOREI AS ALMAS!

Hoje dia 13 de Maio é dia dos PRETOS VELHOS na Umbanda! É dia de homenagear  e louvar aqueles que nos ajudam e orientam de tantas formas. Umbandistas de coração, hoje é dia de oferecer café e bolo de fubá, de agradecer ao invés de pedir!

 

O Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá, fará amanhã sábado a sua homenagem em lugar próprio : No Congá! Entre o povo de Santo, crentes e filhos de fé. Desde já deixo aqui expresso meu amor, carinho e devoção por todos os avôs e avós , pretos e pretas velhas que descem em seus terreiros para trabalhar em seus "cavalos" , sessão após sessão, com rezas, mandingas, conselhos sábios e grande paciência para escutar tanto as lamentações e como as aflições verdadeiras dos que os procuram! Imaginem só , que depois de partir deste mundo e ao contrário daquilo que algumas religiões afirmam ser o descanso Celestial, as Almas, ou melhor as Santas Almas, enveredam por um caminho de trabalho intenso em prole da humanidade! Eles aceitam "descer" as suas vibrações para poder fazer passar as suas mensagens aos médiuns que se dispõem a recebe-los em condições e passam a escutar e a ajudar aqueles que buscam a sua ajuda. Muitos de nós , não teríamos a paciência de escutar um milésimo daquilo a que se sujeitam, pois a par de verdadeiro sofrimento e desorientação, surge muito impropério, raiva e outros sentimentos de baixa vibração que eles buscam mostrar ao filho sob uma perspectiva de evolução, orientando os impulsos destes de modo a poderem tirar o melhor partido da vida e de uma convivência pacifica, saudável e generosa. Procuram acima de tudo fazer ver o potencial que cada um tem dentro de si, se trabalhado com fé e com afinco, gerando pensamentos positivos, capaz de enfrentar dificuldades, inverter situações de perda e relançar a vida daqueles que têm ainda um Karma a cumprir neste mundo.

 

Agradeço ao Pai Joaquim de Angola que tanto me ajudou na minha vida numa fase complicada da minha vida e que constituiu o meu primeiro contacto com a Umbanda, agradeço a  Avó Cabinda que foi minha mestra por tudo o que me ensinou enquanto fui seu Cambono e tudo aquilo que continua a fazer por mim, e por todos nós e acima de tudo na protecção e direcção do Terreiro conjuntamente com as entidades dirigentes do mesmo. Agradeço ao Pai Chico das Almas que me escolheu para medium e que desejo humildemente poder continuar a servir da melhor forma. O meu carinho à Avó Catarina, Pai Joaquim da Aruanda, Pai Tomé, Pai João das matas, Rei Congo e Tia Maria que abençoaram o Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá com sua presença constante, assim como a todos aqueles que nos visitam e nos honram com a sua presença em cada sessão. A todos eles agradeço em nome da casa a que pertenço a boa fundação que sustenta o nosso Terreiro e o magnífico trabalho que realizam.

 

A todos eles,

Adorei As Almas

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno

Terreiro Pai Oxalá Mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 14:14 | comentar | ver comentários (1) | favorito
11
Jan 11

Ancestrais ilustres Portugueses na Umbanda.

A vossa bênção meu, Caboclo, benção meu Preto Velho...

 

A Umbanda assenta na premissa do poder da vontade Divina manifestada através dos Orixás na criação e manutenção dos espaços físicos e espirituais e simultaneamente reconhece, enaltece, preserva e fundamenta o Axé nas manifestações dos Orixás nos reinos naturais e espirituais (os Orixás não são a natureza mas manifestam-se nesta). Os altares naturais da terra são pontos de força destas manifestações poderosas: terra, agua, ar e fogo expressos nos oceanos, rios, florestas, campinas, pedreiras (montanhas, ravinas, etc) só para mencionar alguns. Na natureza buscamos limpeza e energia, saúde e regeneração e a ela devemos a vitalidade do Axé ou seja da manifestação vital. No entanto, a Umbanda exerce a sua actividade essencialmente no contacto com os planos espirituais, sendo que também aqui no campo do sobrenatural se expressa a vontade dos Orixás: através dos Ancestrais ilustres.

 

Ancestrais são então aqueles que nos precederam e ilustres por terem sido marcos importantes na evolução espiritual e por continuarem a ser veículos de transmissão dessa qualidade divina e da vontade dos nossos Orixás, fazendo eles a ponte para a transmissão do conhecimento, sendo Guias da humanidade na sua evolução espiritual, como decerto acontece noutras religiões ainda que obedecendo a outras apresentações e envolvências culturais (ver o exemplo dos apóstolos no Cristianismo e do profeta no Islamismo). Sendo a nossa religião originária do Brasil ainda que mesclando saberes e culturas de três continentes distintos (Américas, África e Europa), continua sendo no entanto marcada pela presença, exclusiva tanto quanto podemos perceber, de Entidades que se apresentam como ancestrais Ilustres do Brasil. O Caboclo, o Preto Velho, o Boiadeiro, entre outros são na realidade verdadeiros ícones do Povo Brasileiro na sua origem.

 

De tempos a tempos somos interpelados, quer pelo frequentador Português anónimo do Terreiro quer por irmãos de fé no Brasil, sobre a possibilidade da aparição de entidade de cunho Português, uma vez que se pratica esta religião continuamente no nosso país em diversos templos. Como resposta costumo dizer que desconheço se existe ou não alguma Entidade de cunho Português, actuando em algum terreiro mas acredito que existam espíritos com alguma encarnação anterior neste espaço a que chamamos Portugal a militar numa qualquer falange , eventualmente respondendo pelo nome de seu mentor, um Caboclo, Exu, Criança, etc.

 

Por um lado o espírito não tem fronteiras e as reencarnações obedecem a outros requisitos bem mais importantes para a evolução do Homem do que propriamente o espaço geográfico, linguístico ou cultural em que viveu. Por outro lado, a Umbanda está dando os primeiros passos fora do país em que nasceu. Temos ainda que reconhecer que os espíritos iluminados são na sua essência humildes e despem-se de individualizações que em nada iriam acrescentar às suas comunicações, como seja nacionalidade, profissão e status social; é óbvio que existem muitas escolas de evolução a que chamamos vulgarmente religiões e essa diversidade responde à necessidade dos povos, mas ao aderir a uma corrente ou escola, deve o espírito obedecer aos preceitos nela praticados, neste caso a identificação das entidades de acordo com os seus líderes e mentores. Temos necessariamente vários Caboclos da Lua, vários Pais Beneditos, sendo que todos eles militam numa corrente e numa linha , falange, sub-falange, etc, que responde como é óbvio ao primeiro e verdadeiro Caboclo, Preto-Velho, Boiadeiro, etc detentor desse nome. Por outro lado temos a questão do potencial simbólico transmitido pelo imaginário comum quanto se houve falar destes verdadeiros ícones de identificação de um povo. Tomando como exemplo o Caboclo, diria que ele é o Homem na sua acessão natural; em equilíbrio com o meio ambiente, conhecedor dos espíritos que habitam a natureza e exímio utilizador das plantas em banhos ritualisticos e de limpeza, defumações, detentor do conhecimento e do poder da cura pelas plantas, respeitador dos vários equilíbrios que se estabelecem nos ecossistemas que habita, etc. Se outrora foi considerado atrasado e sem civilização pelo homem branco dominante, tal como o s nossos queridos Pretos-Velhos escravizados e humilhados na sua qualidade humana, não é menos verdade caminhamos felizmente ainda que devagar para um verdadeiro reconhecimento destes povos , nos seus valores e culturas e entre aqueles que abraçam a espiritualidade , ou tão somente ecologistas convictos, cresce o respeito pelos conhecimentos ancestrais que possuem. Por outro lado, estes são símbolo ainda muito vivos e actuais, visto existirem ainda indígenas e por outro lado a escravatura acabou há muito mas na realidade subsistiram ainda situações pontuais de escravidão até ao século XX.

 

Se tentarmos encontrar ícones do Povo Português, recorremos quase sempre ao descobridor do século xv, que não abona a favor dos direitos humanos, quanto mais da evolução espiritual, pois tratou-se de um período de corrida aos tesouros de outros povos e continentes e mergulhou-nos na triste senda da escravidão; podemos ainda recorrer á raiz discutível deste povo já bastante mesclado por diversas raças (moçárabes, romanos, celtas, bárbaros do centro e leste europeu, cartagineses, etc) falo do povo Lusitano que era de facto bastante guerreiro e tinha ainda algumas práticas sanguinárias, tal como muitos daqueles que povoaram este espaço por milhares de anos antes de nós. Na verdade a história dos povos está repleta de vingança, sangue, ódio, enfim de um role interminável de situações históricas (inquisição na idade média ou sacrifícios humanos no período romano e pré romano, 2 guerras mundiais) que serviram para aprofundar o carma individual e colectivo destas nações. Veicular a ideia de optimismo é por si mesmo equivalente a remar contra a maré neste Velho mundo, cansado de uma história longa de destruição. Se falarmos no aspecto natural, podemos também verificar que exterminámos florestas, habitats inteiros empobrecendo essa mesma natureza em prol da agricultura e posteriormente da industria e assim reduzimos a quantidade de Axé que podemos usufruir das suas fontes como já referi. Claro que existem homens e mulheres bons, evoluídos e movimentos de progresso humano, mas o ambiente e a simbologia patentes nas diversas culturas europeias estão contaminadas por um passado de trevas.

 

Por tudo isto e porque a Umbanda se pratica por cá somente há cerca de 2 décadas (meia dúzia de anos de forma exposta e publica) creio ser ainda cedo para que se manifestem entidades de matriz cultural portuguesa ou europeia. Aguardo no entanto que tal suceda um dia, mas até lá verifico com agrado que aqueles que nos procuram, sendo na sua maioria portugueses, não sentem contudo qualquer barreira no contacto com as nossas queridas Entidades, nas suas exposições, escutando os seus conselhos e seguindo os seus ensinamentos, mostrando afinal que somos bem mais receptivos do que á primeira vista podemos parecer. Espero nesse sentido que Portugal possa servir de chão fértil para uma disseminação da religião por outras nações deste velho continente.

 

Saravá Umbanda,

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno

Terreiro de Umbanda Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 17:11 | comentar | favorito
28
Dez 10

A Felicidade em servir

Saravá,

 

Hoje decidi partilhar um texto que gosto de rever periódicamente. É um texto psicografado que encontrei há muito e que expressa de uma forma tocante o propósito maior que cada um de nós seres na carne carrega.

 

Axé a todos,

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno

 

Terreiro de Umbanda Pai Oxala e Mãe Iemanjá

 

passo a citar:

"A FELICIDADE EM SERVIR
A alma humana não se contenta com uma vida de acordar e dormir, trabalhar e divertir-se, comer e beber. É pelo sentimento de ser útil que ela se realiza

O que lhes faz feliz? Vocês já responderam a essa pergunta? Já, pelo menos, fizeram essa pergunta a si mesmos? Qual será o caminho da felicidade que eu suspeito que vocês ainda não encontraram plenamente na Terra, no estado de consciência em que vivem?

A busca da felicidade não consiste em ter os bens materiais de que precisam. Há pessoas abastadas, com muito dinheiro mesmo e que são infelizes. A felicidade consiste em servir e ser útil.

Vocês podem ver que quando estão fazendo algo que beneficia os outros, colhem benefícios para si mesmos. Quando recebem de volta o sorriso e o agradecimento das pessoas que auxiliam, o coração se enche de felicidade. Uma satisfação enorme preenche vocês, o sentimento de ser útil, de trocar energia, de servir. Eu me atreveria a dizer que a felicidade que vocês procuram na vida está em servir. Servir a propósitos mais elevados, servir à manutenção da vida, servir desinteressadamente deixando fluir o amor incondicional que é o alimento da vida.

As pessoas que se alistam nessas frentes voluntárias de auxílio ao próximo não fazem isso porque querem ser boazinhas ou por remorso, fazem porque descobriram o prazer de servir. Quando vocês servem, quando auxiliam alguém de livre e espontânea vontade, por uma motivação interna que os impele para isso, vocês estão deixando fluir o amor de Deus e não há nada mais graticante do que sentir-se um canal para o amor de Deus. A sensação de estar vivo, de ser útil e de fazer diferença no mundo compensa qualquer coisa.

Há muitas maneiras de servir e cada um tem a sua, cada um pode encontrar a maneira pela qual sinta-se mais vivo e participante. Há pessoas que servem as crianças, cuidando delas, ensinando-lhe as pequenas coisas da vida e brincando com elas. Há os que gostam de servir aos idosos, minorando o sofrimento e a solidão que eles sentem numa fase em que tantos sonhos ficaram para trás, em que as dores e a decadência física apagam o brilho da vida. Há os que gostam de servir em hospitais, há também os que servem nas escolas, os que ensinam todo tipo de coisas que faltam aos menos favorecidos. Há os canais que servem à humanidade na medida em que se colocam à disposição para que as informações e orientações espirituais cheguem.

A qualidade de um serviço se mede pelo tanto de amor incondicional que se irradia do coração quando estão nele. A qualidade se faz sentir também por vocês, pois quando ficam alegres, enlevados, elevados e satisfeitos, estão realizando o seu serviço com qualidade e inteireza. Não é possível sentir isso quando se serve por obrigação, por remorso ou por culpa. Para servir assim, é melhor não fazer nada, pois o seviço só reavivaria nesse caso sentimentos que vocês precisam deixar de lado. O serviço bem realizado é aquele que em primeiro lugar satisfaz e preenche quem o realiza, pois essa é a medida do quanto o ato é verdadeiro, espontâneo e natural como é o amor incondicional de Deus. Pode-se fazer uma coisa muito simples, varrer um chão, lavar uma louça, catar um papel na rua, mas se há esse sentimento, esse contentamento interior por estar servindo, então o serviço é legítimo, é real e tão nobre quanto qualquer outro aos olhos de Deus.

Filhos, a vida pode ser serviço. Serviço a vocês mesmos, às suas almas em evolução. Na medida em que passam a viver com alegria e leveza, motivados por um sentimento maior, vocês estão servindo a Deus e a si mesmos. Servir não é ser escravo, não é fazer o que os outros mandam, não é uma condenação, nem uma humilhação, nem uma obrigação. O sentido mais elevado de servir está em deixar essa energia de amor incondicional perpassar vocês e isso se manifesta de diversas formas. Não importa o que se faz, importa é o sentimento e a energia que estão sendo colocados no que se faz.

Servir: tem
ser dentro dessa palavra, ser que é o verbo afirmativo da existência, a existência que é o sinônimo de Deus e de tudo o que vocês são. Veja que na palavra servir há ser e vir, vir a ser, não é bonito? Meditem no que é vir a ser, peçam ajuda ao Eu Superior de vocês, peçam que lhes aponte o caminho do serviço em suas vidas. O serviço deve começar por si mesmos, como já disse, pelo serviço à própria alma, à propria divindade interna que deseja manifestar-se através de vocês. Quando se vive em serviço, não há cansaço, não há contrariedade, não há esmorecimento da vontade. Quanto mais se serve, mais se deseja servir, mais se deseja ampliar e perpetuar o sentimento de paz e alegria interior que advém do serviço.

Pensem nisso, no que podem servir, no que podem fazer a princípio por si mesmos, pela evolução de suas consciências, e o que podem fazer pelos outros, pela realização de Deus através dos outros. O que podem fazer pelo seu combalido planeta, pela natureza depauperada desse lindo orbe que habitam. O que podem fazer para dar um novo sentido à sua vida, para preenchê-la de momentos e satisfação. O que podem fazer para que tenham aquele sentimento de não ver o tampo passar - quando se serve, perde-se a noção do tempo. Perde-se também a noção de limites entre vocês e os outros. Há um estado de fusão, é uma coisa muito bonita e forte de para se experimentar.

Analisem a vida de vocês e vejam o quanto existe disso, em que momentos vocês se sentiram assim, e podem apostar que fazendo isso é que estarão servindo, que estarão enchendo suas vidas de significado. Disso vem a felicidade, filhos. A alma humana não se contenta apenas em trabalhar, comer, beber, dormir, divertir-se e levar a vida sem um propósito maior. Por isso é que tantos estão insatisfeitos e vazios. Até mesmo os ricos, os muito abastados, aqueles que poderiam dedicar sua vida à diversão e ao prazer - que vocês idenficam como fontes de felicidade - até eles são muitas vezes tristes e vazios. Podem aparentar segurança, autosuficiência, poder e plenitude, mas no fundo são pessoas vazias.

A vida de vocês nesse planeta está baseado no serviço a coisas externas, a objetivos exteriores. Vocês empregam energia nisso e ela se esvai, ela é só consumida e não volta para vocês. É um gasto de energia pelo canal errado, um canal que não passa pelo coração, por isso não lhes dá a sensação de preenchimento. Ricos e pobres nesse planeta chegam à conclusão do vazio em sua vida, uns porque têm tudo e ainda tudo lhes falta, porque encaram a tremenda frustração de ter se esforçado, de ter empregado a vida numa busca que não levou a nada, outros porque são privados de tudo, não puderam nem ter a chance de experimentar um pouco mais de satisfação na vida e se sentem excluídos.

Por isso, também, é que a sexualidade é tão valorizada, tão exacerbada entre vocês, ela é uma fonte de satisfação, mas uma satisfação apenas momentânea, fugaz. Vocês precisam de mais e mais experiências e alguns passam a vida em busca disso. É preciso ter cada vez mais, coisas cada vez mais ousadas, até aberrantes, para obter novas sensações. A gula é outra fonte de busca de satisfação e preenchimento, a paixão pela velocidade, o gosto pelo perigo que descarrega adrenalina e leva à euforia, as drogas, o consumismo desenfreado. Tudo isso são as buscas dos seres humanos, são formas de obterem felicidade, mas percebam que nada disso traz o sentimento de preenchimento que procuram - enquanto aquela freirinha que serve na periferia ou aquela dona de casa que emprega parte do tempo dela ajudando numa creche são pessoas felizes, radiantes, estão de bem com elas mesmas e cheias de paz.

Filhos, perguntem-se o que lhes faz feliz, vejam no fundo do coração o que têm vontade de fazer. Talvez não tenham experimentado isso ainda, assim exercitem a imaginação, imaginem-se em várias situações e vejam o sentimento que vem disso. Busquem um sentido mais elevado para suas vidas, busquem alguma coisa, dediquem-se a ela e comecem a experimentar um outro modo de vida. Deixem que o Amor de Deus flua por meio de vocês e se realizarão com isso. Isso é servir, não importa como, cada um encontra a sua vocação.


Na Luz me despeço,
Aprica

Autor:
Aprica
Canal:
Regina Giannetti"

 

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 16:41 | comentar | favorito
02
Ago 10

Saluba Nanã

Retomo um post de 2009 sobre Nanã:

 

... vamos louvar este orixá em nosso Terreiro. Nanã, a mais velha das iabás, senhora das lagoas, lagos e charcos. Nanã é ela própria a lei da transmutação, depuração, decantação não só das águas mas sobretudo das almas.Para compreender um pouco melhor os Orixás temos que atentar no facto de eles serem matrizes de criação do mundo fisico, astral e espiritual; encontramos portanto essa matriz no mundo mineral, nos reinos vegatal e animal, nas leis físicas e químicas que regem os organismos simples ou complexos tanto no macro como no microcosmos e por outro lado esta matriz rege de igual modo o mundo espiritual (o mundo espiritual precede o fisico) . Assim podemos atentar naquilo que é a decantação das águas no mundo natural em que por acção do tempo e da gravidade, se depositam as impurezas no fundo das lagoas permitindo que  estas recuperem a pureza à superfície;  movendo-nos da natureza para o ser humano vemos  a sua acção se faz sentir nos processos que determinam o fim de determinados ciclos como por exemplo na menopausa- o fim da fertilidade na mulher (trabalhando com Oxum), ou então no campo emocional  decantando os seres emocionados e preparando-os para uma nova "vida", já mais equilibrada uma vez que este é um dos campos principais de actuação de Nanã: a maturidade emocional.

Por vezes é necessário parar, pensar , deixar passar determinados tumultos internos para podermos compreender o que está a acontecer, para podermos aceitar determinados factos. Por fim, aquele que é o mais delicado dos reinos de actuação deste Orixá.
Falamos pois dos espíritos que fraquejaram durante sua jornada carnal e se entregaram à vivenciação dos seus vícios emocionais, estes serão entregues por Omulu no momento de sua passagem e cabe a Nanã a sua preparação, adormecendo-os  e  libertando-os assim do emocional para uma nova encarnação.

Reverenciemos pois Nanã com o respeito e o apreço que merece, rogando a mãe Nanã que nos ajude a amadurecer, a aceitar o envelhecimento como parte de um prrocesso que conduz a libertação do espirito daquelas que são as amarras da carne, os prazeres e os vícios que nos cegam e nos querem tornar imortais na carne quando deveríamos almejar essa imortalidade no campo onde ela tem efectivamente lugar, ou seja no campo espiritual. Pedimos a Nanã que nos ajude a entender que a vida que agora vivemos deve contribuir para a elevação de nossos sentimentos e de nossa mente de modo a alcançarmos a tranquilidade emocional e a elevação espiritual necessárias para a nossa propria evolução

Saluba Nanã!

Francisco de Ogum

Pai Pequeno no Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por galileu às 21:50 | comentar | ver comentários (1) | favorito
28
Jun 10

XANGÔ

Saravá a todos os irmãos e curiosos que acompanham as actividades promovidas pelo Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá !

 

No passado Sábado dia 26 de Junho de 2010, homenageámos Pai  Xangô e com ele todos os seus trabalhadores no Astral Superior.

 

Xangô é um dos Orixás maiores na Umbanda e um dos primeiros a chegar ao Brasil, havendo um sem número de casas e cultos a ele dedicados  e muito já foi escrito sobre Xangô, bem como sobre os sincretismos com os diversos "tipos" de Xangô, arquétipos dos seus filhos, comidas, etc. Não podemos no entanto esquecer que encontrando-nos nós em Portugal, devemos fazer chegar a nossa mensagem e informação um pouco mais direccionada àqueles que abordam esta religião com natural curiosidade, mas ainda pouco habituados ou familiarizados com os Orixás e o que, de  facto são. Pois bem, em primeiro lugar Orixá é na nossa forma de ver,  a Inteligência  ou Potência emanada de  Deus (Olurum ou Zambi ). No Inicio era o vazio, ou seja antes da existência do Universo no qual residimos existia apenas o vazio; depois os Orixás pela sua vontade criaram luz, massa e movimento numa grande explosão que impulsionou os primeiros elementos físicos a expandirem-se criando as Galáxias, os sistemas solares, planetas,  enfim o Universo. Eles residem num plano Espiritual, donde provém a tal matéria escura que antecedeu a constituição da matéria tal como a conhecemos e do universo. No acto criativo, ou formativo, os Orixás manifestaram-se tanto nos planos espirituais como materiais, estando eles na origem e constituição de todas as estruturas, todos os elementos, essências e manifestações. O ar, fogo, água terra e éter são na verdade elementos manifestos de suas vontades e logo aqui cada um deles imprime um cunho específico, influenciando e complementando-se numa teia intrincada que constitui o todo complexo que é a matéria e a vida! Efectivamente, os Orixás não são a natureza, mas eles manifestam-se na natureza! Eles são constituintes de tudo e chegam até nós de forma directa na manifestação espiritual através de insights de iluminação individual, através das forças elementais da natureza e também de forma mediada pelos espíritos ilustres dos Ancestrais que na Umbanda se revelam sob a forma de Caboclos, Crianças, Pais Velhos e outros. Xangô manifesta-se no reino natural através do elemento fogo enquanto criador e destruidor ; elemento fulcral para a formação do magma que possibilita a organização mineral que depois forma a litoesfera, ou seja a rocha! Firme, estruturado e imutável, excepto pelo fogo! Por isso o seu local vibracional na natureza  por excelência é a pedreira! Mas também o sincretizamos no raio que rasga os céus numa potência ígnea que queima e destrói implacavelmente na sua descarga sobre a terra. No plano espiritual este mesmo potencial está nas leis imutáveis que regem os espíritos: desde logo a lei que diz que existe uma consequência para cada acção, o Karma! Longe dos julgamentos de valor típicos das religiões clássicas ocidentais , desde logo a Cristã que bebeu o conceito de pecado e culpa dos hebreus. A lei de Xangõ é como aquelas leis da natureza que conhecemos tão bem. A lei da gravidade explica que todos os objectos possuidores de massa são atraídos para a Terra, tal como a maçã de Newton que haveria de dar tanto que falar. A lei do Karma afirma que todos os pensamentos, palavras e acções constituem manifestações no plano Astral e que têm como consequência a afectação de toda a realidade interdependente e por isso terá sempre um retorno. Imaginemos um lago sereno num dia sem vento com a superfície calma e regular como um espelho, sobre a qual atiramos uma pedra... formam-se ondas que partem do centro e que vão afectar toda a superfície levando a ondulação até à berma! Assim ocorre com as nossas acções, palavras e pensamentos que afectam desta forma em cadeia todos os que nos rodeiam mesmo que não consigamos vislumbrar como. As mesmas ondas irão até à berma até perder sua energia, mas ao encontrar uma barreira física, chocam e retornam em sentido contrario com força semelhante, é o retorno! Não se trata de pecado e culpa e sim de acção e consequencia. Outra lei essencial, é aquela que faz com que espíritos semelhantes se atraiam, criando verdadeiras egrégoras (entidade criada a partir do grupo) espirituais que gravitam em torno se pensamentos e sentimentos semelhantes, para uns o ódio, o ciúme, o orgulho mas para outros o amor, a compaixão, solidariedade! Cabe a cada um de nós escolher a que egrégora queremos pertencer e para tal apenas temos que mudar a forma como vibramos, que pensamentos e emoções repetimos, por forma a nos reunir aos nossos semelhantes espirituais, tanto encarnados como desencarnados. Nós seres humanos enquanto encarnados e limitados aos condicionalismos de uma existência física, apenas contactamos com a realidade de forma fraccionada, possuindo sómente perspectivas da realidade e nunca conseguimos vislumbrar a realidade como o todo e por isso mesmo fraccionamos a nossa concepção em pequenas porções com a finalidade de conseguirmos racionalizar as nossas percepções e por isso mesmo as nossas criações padecem dessa mesma limitação. Assim sendo,  a lei dos homens será sempre subjectiva e falível! No entanto, o simples desejo de harmonia e ordem, que está na base da necessidade de criação de todos os sistemas jurídicos criados pelo  Homem    são  em si mesmos uma expressão do nosso Eu Superior, aquela centelha divina que todas as Almas possuem e que clamam por valores mais elevados, embora não o façam de forma continua e constante pois o caminho que leva à exaltação dessa porção em cada um de nós tem de ser acarinhada e alimentada constantemente, para não sucumbir ao ambiente tendencioso e inquinado que constitui infelizmente as sociedades em que habitamos, uma vez mais por afinidade. Sim por afinidade, pois se nos encontramos aqui e agora neste mundo é porque ainda não conseguimos ultrapassar as nossas limitações. Por oposição à lei humana, a Lei de Xangô é implacável, ela actua sobre tudo e todos como o machado de dois gumes que transporta na iconografia yorubá, pois esse machado corta em duas direcções : quando vai e quando retorna! Acção e consequência ou Karma. A Pai Xangô pedimos que nos inspire de modo a sermos conscienciosos, precisos, metódicos, trabalhadores, simples, ordenados e amorosos. Desta forma podemos receber dele o Axé e a virtude que nos permitirá influenciar positivamente o mundo em que vivemos ainda que limitados à proporcionalidade da nossa condição, mas crentes que poderemos formar uma grande egrégora em nossos terreiros, na nossa cidade, no país em que vivemos e por fim no planeta, equilibrando as forças que o regem! Todos temos que contribuir e esta é a forma que encontro de poder tocar, assim espero a consciência de alguns, no meu percurso enquanto cidadão deste mundo.

 

Axé a todos, Kaô Cabecile

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno

Terreiro de Pai Oxala e Mãe Iemanjá - A Umbanda em Portugal

publicado por galileu às 15:50 | comentar | favorito
11
Jun 10

Exu na Umbanda

Saravá a todos os seguidores deste espaço de opinião que é o Blog do Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá. Não tendo a pretensão de tudo saber nem tão pouco de reinventar o que já existe, limito-me a expor algumas considerações acerca dos temas que consideramos pertinentes em nossa casa e no caminhar que fazemos, no contacto que mantemos com os seguidores, amigos, irmãos , filhos de Santo e até mesmo com aqueles que nos acompanham e nos procuram em cada sábado em Assafora. A internet possibilita um manancial de informação, mas como em tudo na vida, existem sempre muitas versões e visões de uma mesma matéria, pelo que muitas vezes, surge a confusão onde deveria reinar o esclarecimento. Neste mês de Junho, Portugal comemora de forma efusiva os santos populares e entre estes merece especial destaque Santo António de Lisboa, Mestre e Doutor da Igreja Católica, é ele também sicretizado com Ogum em algumas regiões Brasileiras e com Exú Tranca-Ruas noutras, por exemplo no rio de Janeiro. Estes sincretismos são diferentes consoante as comunidades em que surgiram. Vem este facto também a propósito da evocação litúrgica especial que se faz em muitos terreiros por esta altura de seu Tranca Ruas. Exú antes de mais é considerado entre os povos africanos como Orixá , tal como o fazem os diferentes Candomblés, pois ele configura a materialização de nossa existência, tanto a materialização do planeta como também a materialização do Homem. Se os Senhores Criadores do Universo são os Orixás,  por Vontade de Zambi, então a eles cabe-lhes as essencias constituintes tanto dos planos naturais quanto sobrenaturais, podendo ser sentida no reino natural esta mesma essência tal como espirito humano e de Exú recebemos o suporte fisico tanto individual quanto planetário para podermos concretizar a vida na carne! Pegando na parábola bíblica da criação , diria que o barro do qual fomos moldados é de Exu (Bará) e o espírito quem o soprou  foram os Orixás. É por isso que Exú, o grande mensageiro, tem o conhecimento das passagens e encruzilhadas deste mundo e através dele podemos pensar, sentir e realizar; é também através de Exú que entregamos e retiramos Axé, do mundo natural! Quer isto dizer que existe Exú guardião em todos os pontos de força da natureza, criando, mantendo ou destruindo (nascer, viver e morrer) pois esse é o desígnio deste mundo material e tal é necessário para possibilitar as diversas passagens pelos reinos materiais/naturais de um infindável numero de espíritos., ele na verdade tanto se comunica com o mundo quanto com os Orixás. Convém no entanto ressalvar que este Exu, não é o mesmo Exú ou Pomba Gira(Exu feminino) que se comunica nos terreiros através de seus médiuns! Na realidade, estes Exús são espíritos que tendo encarnado ou não, tiveram e têm planos de evolução no reino de Exu, tendo adquirido muitas vezes a forma humana e os modos humanos no estágio que fizeram junto dos seres encarnados, já que esse é o caminho de muitos seres elementares, já que todos os espíritos começam por estágios junto dos reinos minerais, vegetais, animais e por fim junto do Homem de modo depois a prosseguir caminhos que vão desde a evolução como Humano ou em alternativa, evoluindo em esferas de alternativas como é o caso de muitos Exús. Temos um paralelo, aliás com isto mesmo no Catolicismo; Querubins, Anjos, Arcanjos, etc. A função de muitos destes guardiões que têm tal como todos os espíritos graus distintos de evolução, pode ser nuns casos, de proteger os Terreiros e as pessoas que os frequentam,  de energias mais densas , noutros possibilitar as trocas de Axé entre o mundo natural e o Espiritual, auxiliando desta forma os Caboclos , Pretos Velhos, Crianças e outras entidades que dado o seu plano de existência se encontram distantes do manuseamento da matéria. Numa Gira de Umbanda, participam os nossos Ancestrais ilustres (Crianças, Caboclos, Pais velhos, etc), os Exus que os auxiliam directamente e os elementares mais diversos por eles evocados e mantidos. Todos temos Exu ? Sim, claro! Temos o nosso Bará , aquele que acolhe nosso espírito e que é o nosso Exu Pessoal! Temos Entidades protectoras conhecidas também como Exu, independentemente de estarmos em alguma religião Afro-Brasileira? Dificilmente , já que estes estão junto dos seus médiuns porque têm com eles uma ligação espiritual muito especial que provém da missão aceite pelo médium muitas vezes antes mesmo da vida presente e que o veícula a uma religião e a uma prática que antes de mais reconhece a sua existência e o reverência. Exu não é servo de Caboclos e Pretos-velhos como antigamente se pensava, ele é sim um trabalhador incansável que executa a sua missão única. No entanto tenho que ressalvar, que a Exú não deve ser atribuído o papel que os Guias e só eles devem ter! Guiar significa têr o controlo e a direcção e é neste ponto que a Umbanda se divide de outros cultos. A Exú deve caber o percorrer dos caminhos e aos Orixás, através de seus enviados, os Guias e Protectores, deve caber a direcção. A cabeça (Orí) e os pés (significando corpo= Bará ) não devem nunca estar trocados. Aos Mestres iluminados pedimos a luz para que nos mostrem os caminhos diante de nós e aos Exús pedimos a força para prosseguirmos! Existem de facto diferentes graus de evolução de Exús, tal como de outros espíritos, mas uma coisa devemos estar cientes: Exú de Umbanda, tem um comportamento digno e dignificante, embora mais ou menos brincalhão de carácter e não os devemos pois confundir com almas de pouca luz ou médiuns anímicos. A missão de Exú passa desapercebida aos olhos do público que assiste a uma sessão ou Gira , excepto quando assiste a uma gira de Esquerda e no entanto ele está sempre presente tal como estão muitas outras entidades ainda que forma oculta para aqueles que não conseguem vêr para além do plano material.

 

Laroiê, Exu! Exu é mojubá! - Mensageiro, Exu! Exu a vós meus respeitos!

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno do Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 16:05 | comentar | favorito
20
Abr 10

SARAVÁ OGUM !

No dia 23 de Abril comemora-se o dia de São Jorge que por sincretismo com a religião católica, é também dia de comemoração do orixá Ogum! No Sábado dia 24, dia de Gira no nosso Terreiro, damos corpo ao amor, respeito e carinho que temos para com este Orixá! Ogum é força, movimento, caminho, impulso e lei! Ele é o executor da Lei Maior.  Ogum é entre os Orixás, aquele que mais se faz sentir no plano material da existência e Ogum rege o progresso, a descoberta, a invenção e a genialidade no ser humano. Não admira pois que suas vibrações façam ribombar nossos corações e seu ritmo marque tão absolutamente a nossa vida enquanto umbandistas. Se Ogum corresponde ao inicio, à semente lançada à terra, então a Umbanda enquanto movimento religioso em Portugal, acaba de ser lançada, já que as parcas décadas (2 ou 3 ) que leva de existência tímida neste pedaço da Europa não passam de um pestanejar de olhos na grande escala do tempo. Ao mesmo tempo que lançámos a semente, temos que correr e rapidamente embarcar na mudança que se imprime e na evolução que se sente vinda do outro lado do Atlântico, do Brasil, pátria da nossa amada Umbanda. O nosso Terreiro celebra simultaneamente 7 anos de existência nesta mesma semana! Sob a égide de Ogum nos aventurámos, Fernando e eu próprio após confirmação e incentivo espiritual junto de Entidades donas de Congá no Brasil. Sob a égide de Ogum nos mudámos para uma casa maior em 2006 e finalmente completamos 7 anos, número esse que traz até nós o simbolismo e a força do Orixá. Este terreiro é votado a Oxalá e a Iemanjá mas tem com certeza o impulso de Ogum nas suas fundações e raízes. Louvemos pois Ogum em todo o seu esplendor e retomemos forças redobradas e inspiradas para continuarmos os nossos trabalhos com amor e afinco em prol de um mundo melhor em prol do crescimento da nossa amada religião nesta pátria que tanto necessita de luz e direcção para poder rumar numa melhor direcção. convido a todos os que se dirijam ao terreiro no próximo sábado a faze-lo com amor e vontade de doar pois só assim se recebem as verdadeiras bênçãos, desarmem-se das reservas, ponham acima das vossas necessidades, o amor e a admiração a Ogum e a todo o Astral Superior, bem como aos trabalhadores espirituais que labutam incansavelmente na frente de batalha contra as trevas, sejam eles Caboclos, Crianças , Exus, Pretos-Velhos, etc. Abram os vossos corações à mudança e acertem o vosso passo com o ritmo de nossos pontos cantados, tragam o colorido das flores que compõe o nosso altar para as vossas vidas, o aroma das ervas e defumações, das palavras certeiras dos Caboclos, da inocência das Crianças e do amor dos pais velhos. Sejamos construtivos, exemplares, aplicados e amorosos e que em nossos actos possamos de facto ser altruístas. Que Ogum nos inspire, nas nossas batalhas pessoais e nos dote do discernimento e da coragem necessária para podermos construir um país e um mundo melhor , um mundo em que a luz espiritual ilumina a todos por igual! E  porque, para que tudo possamos concretizar, precisamos de fé, então  que possamos dizer como a nossa querida  Avó Cabinda tanto diz : " ... que eu perca o nome, mas que eu nunca perca a fé! ".

 

Ogum NhÊ, meu pai,

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno do Terreiro de Umbanda Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por galileu às 16:30 | comentar | favorito
08
Jul 09

O ego, ou o culto dele! Um dos empecilhos ao desenvolvimento mediunico.

O ego, ou o culto dele! Um dos empecilhos ao desenvolvimento mediunico.

    O ser humano tem uma tendência de culto do ego que se acentua no ocidente e em particular nas ultimas décadas. A nossa matriz civilizacional judaico-cristã absorveu uma noção perversa de pecado que pretendia aniquilar toda a livre expressão e liberdade individual, que atingiu o apogeu na idade média e foi perdendo força com sucessivas revoluções politicas e intelectuais , culminando nos anos 60 e 70 do século XX com uma explosão libertaria. Graças a Deus esses tempos de trevas foram vencidos por cá, mas depois vieram os excessos cometidos que levaram a enaltecer o prazer e a afirmação individual dos anseios e opções individuais sempre imbuídas de ideais um tanto simplórios e ingénuos, mergulhámos então numa espiral de egoísmo despojado de qualquer propósito ou ideal que não seja o do poder, glória e vaidade de cada um. Vemos assim o mundo caminhar para este abismo que devora os recursos do planeta, que insiste na perpetuação da miséria de muitos e ao mesmo tempo vende uma falsa felicidade baseada em ícones de beleza e juventude sem consequências nem responsabilidade. Somos hoje uma sociedade de eternos adolescentes que não querem pensar, não assumem as suas falhas e sempre se consideram perfeitos e infalíveis! A única lei que conhecem é a da exaltação das suas próprias qualidades e vontades. Um ser humano que se emociona com os seus próprios dilemas e despreza outros bem mais graves mesmo que diante de seus olhos; um individuo que gasta fortunas em cirurgia plástica mas recusa pagar os seus impostos que servem para construir, manter e cuidar das redes de comunicações, saúde, educação e tudo o mais que está ao dispor de todos! Utiliza a desculpa da corrupção alheia para justificar a sua própria!
    É este mesmo ser humano que aqui e ali sente o apelo do espírito qual planta tentando romper por entre o alcatrão de uma qualquer estrada; uma ultima réstia de vida natural, espontânea de sublime, frágil e exposta que tenta ainda assim subir, crescer e trazer o que de mais genuíno possa existir no mais recôndito canto de cada ser! Heis-nos perante um ser humano que tenta caminhar e alcançar um sentido mais profundo da sua existência, militando em causas humanitárias, assistenciais, sociais e porque não espirituais? Pois bem, este dilema atinge a todos por igual! Mesmo imbuído na boa intenção, na qual devemos acreditar, acarinhar e incentivar. Mas atenção pois o individuo ou o seu ego por vezes teima em sobrepor-se! Aqui e ali vemos esses valerosos lutadores sucumbir sob seus defeitos morais que embora tentem refrear e extirpar, continuam presentes pois o ambiente social e o passado individual são por demais densos. É neste contexto que pretendo chamar a atenção para o ego destrutivo; compreendendo a natureza humana e deixando de alguma forma uma mensagem de carinho e incentivo a estes bravos lutadores para que não sucumbam já e voltem a tentar uma e outra vez, lutar contra o ego que cresce e tenta absorver tudo e em especial o discernimento. Vejo por vezes indivíduos enaltecer de forma pouco lisonjeira suas origens, seus feitos, seus sucessos ou simplesmente a sua condição sem no entanto desconfiar que por detrás desse acto está escondida uma ponta de vaidade. Atentemos pois nos mediuns que incham de orgulho quando relatam seus feitos ou nos filhos de santo que enaltecem seus Orixás : em ambos os casos, acredito que nunca lhes terá ocorrido de uma forma plenamente consciente a amplitude dos seus actos e de suas consequências, pois não é verdade que a cada acto corresponde uma consequência ?? E qual a consequência da vaidade velada que se esconde por detrás destas posturas? O enaltecer os actos de seu preto-velho, caboclo, criança ou outra entidade acaba por servir apenas para regozijo do próprio medium, pois as entidades não propagandeiam nem fazem alarde de seus feitos! O mimetismo e em simultâneo o sentimento de inferioridade de outro médium que possa assistir a tal demonstração servirá apenas de incentivo à repetição de demonstrações similares e em pouco tempo, se o líder espiritual não atalhar estes comportamentos, todo um corpo mediunico se desagrega em rivalidades estúpidas! Assiste-se muito ao enaltecer soberbo do Orixá de cada um... até podemos compreender o carinho e orgulho em nossa filiação divina, mas quando o filho de fé apenas se interessa pelo que diz respeito ao seu Orixá, a sua cor, a sua pedra, a sua planta, etc, demonstrando desinteresse pelas demais potencias divinas, está não apenas a afastar-se da vibração mais elevada de amor e luz mas também e mais uma vez a originar sentimentos mimetistas e em breve porá ainda que de forma inadvertida e irreflectida em causa a união e a empatia necessária. Empatia! sentir pelo outro como se fôramos nós próprios, a capacidade se colocar no lugar de outro individuo. Para podermos ser uma egrégora, um corrente, um corpo, não poderemos nunca exacerbar cada elo por si pois não têm qualquer valor quando isolados. Espero que meus irmãos de fé compreendam estas linhas e o carinho com que as escrevo, pois é um alerta para que cuidem se seus passos no caminho da luz. Temos de nos analisar constantemente e retroceder quando percebemos que estamos a enveredar por caminhos perigosos. Todos , sempre e a cada momento de nossa vida somos desafiados com escolhas e decisões que parecem inocentes....apenas a um olhar mais desatento. Cuidem de vossos irmãos, cuidem de vós próprios e cuidem do caminho que escolheram. Ser umbandista não é de todo fácil, pois exige progresso espiritual que só é possível com aprendizado e reforma moral a qual é conseguida diariamente e em pequenos passos.

Axé a todos,

Francisco d' Ogum
Pai Pequeno do terreiro de Umbanda Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por galileu às 15:38 | comentar | ver comentários (5) | favorito
11
Fev 09

EVOLUÇÃO MORAL

Hoje trago o tema da evolução moral! Quem busca uma sessão de umbanda, seja consulta , descarrego ou outro tipo de auxilio, raramente tem em mente esta questão! direi mesmo que o tema tem em si alguma resistencia. A moral que aqui falo é bem diferente da falsa moral que fecha os olhos as falhas do proprio e é defraldada amiúde para atingir os outros; nem sequer falo de pruridos e falsas modestias pois não é esse o verdadeiro conceito de moralidade aqui subjacente! Aquilo a que me refiro, é tão sómente o querer ser movido pelo propósito do bem querer e do bem fazer! Não foi Cristo que convidou a humanidade a não fazer aos outros aquilo que não queres que te façam a ti? Ou de uma forma positiva , faz aos outros aquilo que gostarias que te fizessem a ti /por ti...pois não devemos ter uma postura passiva mas antes contribuir activamente para um mundo melhor.

Trata-se de uma questão de íntimo! Ser e não parecer como é tão usual nesta sociedade dita da comunicação, gasta e sobrevalorizada, que afinal continua sujeita à manipulação a belo prazer e necessidade dos influentes ou até mesmo da necessidade de vender escandalos, pois a fome de sentimentos de baixa vibração é voraz. Passámos de uma época tenebrosa, no mundo livre pelo menos, de imposição pela força e foi-nos anunciada uma era de liberdade e democracia ! No entanto o conteúdo perde-se numa época de sobrevalorização da imagem e do bem parecer; sinal evidente de retrocesso civilizacional. Os media iludem-nos através do marketing fazendo-nos comprar aquilo que vendem com tecnicas rebuscadas, apelando aos nossos sentimentos; os politicos vendem-se através das mesmas técnicas e já quase não existe debate verdadeiro de ideias de como planear e construir um futuro pois o que realmente se debate são questões paralelas- sinal da mesquinhez dos que põem o interesse pessoal à fente do bem comum! Os dogmas religiosos vigentes continuam a pregar o pecado e a culpa aos seus fiéis em questões como o uso do preservativo quando o que está em causa é a saúde, a vida e a morte! A hipocrisia segue em todos os quadrantes e como tal é uma população hipócrita que aprende a sê-lo desde cedo. Em casa , na escola, no trabalho , onde quer que seja, os nossos cidadões usam a máxima tão corroborada na antiga roma imperial: "à mulher de César não basta ser séria... há que parecer ser séria" . Quando estes cidadãos se apresentam pois num Terreiro de Umbanda digno desse nome pois também aqui a hipocrisia  e a falsidade dos que se utilizam do bom nome desta religião é muita e grandemente conhecida... então , quando adentram no terreiro, estes cidadãos são confrontados pelas entidades com decisões e questões de foro intímo exigindo uma reforma moral. Espanto dos espantos, afinal muitos pensam que basta pedir ao Caboclo ou Preto-velho que conserte o seu casamento ou relacionamento amoroso sem mais... mas quando interrogados sobre os diversos comportamentos que os nossos amados Guias encontram em suas psiques, limitam-se a negar ou a encolher os ombros , mentindo ou simplesmente achando que não falharam e que a mudança a ocorrer será sempre da outra parte! O mesmo acontece em todo o tipo de assunto. Muitos pretendem ter paz, mas o que fizeram para isso? Limitam-se a responder que são boas pessoas e não querem mal a ninguem e no entanto estão prontos a afirmar que a vizinha X ou o familiar Y lhes fizeram qualquer especie de sortilégio para que se tivesse instalado o azar , a discordia, enfim. Mas afinal será tão dificil ver-mo-nos no espelho e identifcar os nosso proprios erros? O problema está na autenticidade e honestidade em querer modificar-se. Desafio qualquer um a tentar mudar um hábito antigo e verão que essa tarefa poderá tornar-se tremenda. Mudar é complicado! Mudar assusta e trás desconforto! Por isso mesmo a maioria estagna e cristaliza-se em posições irredutíveis! É devido a este comportamento que continuamos a assistir à discriminação sexual , rácica ou até mesmo religiosa! No nosso país, embora a evolução no sentido de liberalização dos costumes que se  tem evidenciado nos ultimos trinta anos, qualquer irmão umbandista que se assuma como tal passa muitas vezes a pertencer de imediato a uma minoria discriminada! Os comentários nas costas e o rótulo de bruxa, macumbeiro ou feiticeiro ser-lhe-á infligido umas vezes abertamente outras vezes de forma insidiosa, nas costas por covardia já que não têm a coragem  da frontalidade! Porque é que o simples facto de têr um credo diferente provoca tanta resistencia? porque é que a opção sexual, a côr da pele ou qualquer outra caracteristica pessoal há-de pesar assim tanto? Generaliza-se muitas vezes maus exemplos para poder justificar o injustificável! Verifico que por vezes o individuo assume uma posição que corresponde à posição socialmente vigente com medo de ser ele proprio identificado com determinada situação. A ignorância poderá explicar parte desta equação mas não a totalidade pois estes comportamentos não são exclusivo dos ignorantes.

Teremos pois de evoluir individualmente e colectivamente a nivel moral! Não condenar ninguem é uma das premissas pois quando alguem condena outrém assume-se numa posição de superioridade moral e mesmo que tudo indique na direcção da culpa do acusado, será que não teremos todos pecado ? que não tem telhados de vidro? Jesus perdoou e pregou o perdão! Como é que alguem que se diz cristão pode veicular a palavra de Cristo  e julgar os demais sem margem para perdão? Amar o próximo como a sí mesmo! Uns amam-se a si mesmos julgando-se perfeitos e imaculados e negam essa condição a todos os outros pois desta forma sentem-se valorizados na sua vaidade e egocentrismos , os seus mundos giram em torno de seus umbigos e não se dão conta das autenticas toupeiras em que se tranformaram... não vêm nada além de sua imagem e como tal pisam e magoam.. qual elefante em loja de porcelana! outros nem se amam a si mesmos, o que torna impossivel amar os demais! Castigados por noções distorcidas de culpa, ou simplesmente porque não conseguem enquadrar-se de acordo com os ideiais qie a sociedade vai impondo... ideiais impossíveis de atingir pela maioria e impossiveis de manter de forma geral: juventude eterna, beleza plastica uniformizada em padrões irrealistas, enfim. É claro que não podemos exigir a santidade! Mas devemos exigir o compromisso do esforço sério e autêntico no sentido do melhoramento de cada um! Talvez assim não houvessem tantas relações frustadas. Quando solicitamos a ajuda aos iluminados, podemos recebe-la de facto, sem que no entanto entendamos o seu real significado. Quando uma entidade chama a atenção para as falhas daquele que se vem queixar de outrém, este pode não querer ouvir, cego e surdo que está à razão; mas é absolutamente vital que o mesmo seja situado, que assente os pés no chão, que reveja suas posições e procure o caminho correcto. Felizmente ainda existem muitas pessoas que são capazes de uma reflexão e que efectivamente tentam melhorar, afinal é isso mesmo que se prentende: que o individuo desperte para a necessidade de evoluir. Onde houver luz não existirão trevas... heis o verdadeiro significado desta afirmação! Se somarmos a isto a lei da atração espiritual em que efectivamente os espiritos iguais se atraem, por certo entenderão que aqueles que muitas vezes se sentem assombrados, perseguidos espiritualmente, estão antes de mais a viver num nivel moral muito baixo e que só poderão combater de forma eficaz esse assédio espiritual se buscarem a elevação moral para assim almejar outras companhias.

 

Francisco d'Ogum

Pai Pequeno do Terreiro

Pai Oxala e Mãe Iemanjá

umbanda.com.sapo.pt

publicado por galileu às 17:23 | comentar | ver comentários (3) | favorito

Localização


Ver Terreiro de Umbanda num mapa maior