24
Abr 12

As consultas com Entidades, limites fisicos do medium

Saravá,

 

Desta feita, trago a vós um tema que nos é muito caro, pela pouca instrução nas coisas espirituais que os crentes, frequentadores e umbandistas em geral parecem ter, se torna importante esclarecer. As entidades com uma vibração Espiritual superior, ou sejas as comummente designadas por Entidades de Luz, pela sua condição existencial, já se distanciaram do mundo físico a um ponto tal que necessitam do auxilio do ectoplasma do medium que lhe dá passagem, para poder exercer a sua actividade em terra, sejam consultas, trabalhos, limpezas, etc. A utilização desta energia, é feita com cuidado para não deixar exausto o medium e ainda assim procuram os nossos protectores e guias , transferir da natureza muita da energia necessária ao médium de modo a auxiliar esta acção, com a colaboração de Elementais, Exus e outros trabalhadores do Astral que por se encontrarem em vibrações mais próximas da terra física , podem desta forma prestar esse auxilio. Contudo existem limites e quando o consulente ou trabalho em questão é de vibração particularmente baixa, acaba por cansar o físico do médium , deixando marcas de cansaço que pode inclusive impedir nalguns casos a prossecução do trabalho no médium.

 

Para evitar situações como estas, que não abonariam nada para o sucesso das comunicações espirituais e demais trabalhos desenvolvidos pelas nossas queridas Entidades, estabeleceram-se algumas normas em nossa casa, tendo em vista a saúde dos seus trabalhadores e qualidade das comunicações. É por essa razão que existe um limite de consultas por cada médium presente e é por isso mesmo que são distribuídas senhas de consulta de modo a não ultrapassar-se o limite desejável. É também por esse motivo que o tempo que cada consulente passa em frente a uma entidade é precioso, pois se no plano Astral o tempo não tem o mesmo significado que tem para nós encarnados e por esse motivo os cambonos têm instruções precisas dos líderes espirituais para auxiliar as Entidades em terra a delimitarem o tempo de cada consulta junto da Entidade e do próprio consulente.


Torna-se imperioso que todos entendam que estas regras e limitações são essenciais e que a não obediência das mesmas de forma reiterada demonstra por parte daqueles que o fazem  a sua natureza pouco solidária, o não respeito pelos mediuns enquanto irmãos abnegados que se colocam voluntariamente ao serviço e acima de tudo o desrespeito pelas Entidades  que sendo de facto ascensionadas, devolvem com amor carinho e benevolência os agravos cometidos com ou sem consciência daqueles que procuram auxiliar. É hora pois de acordar e pensar nos actos egoístas que todos os dias são praticados em todos os momentos de nossas vidas e procurar corrigir formas de estar e viver pois são estas em ultima análise que nos prendem nas vibrações rebaixadas de uma existência inferior e animal neste planeta ao invés de evoluirmos na consciência, amor e busca incessante de ascensão para um dia podermos seguir rumo tal como aqueles que agora nos auxiliam lá na Aruanda. Por ultimo relembro que todos nós temos graças na proporção que merecemos, vamos então procurar não desmerecer para poder receber?

 

Francisco de Ogum,

Pai Pequeno

publicado por galileu às 12:12 | comentar | favorito
27
Mar 12

Evolução espiritual

Desta vez trazemos aqui um trecho da obra "Evolução no Planeta Azul"

Obra mediúnica ditada pelos Espíritos Ramatís e Vovó Maria Conga
ao médium Norberto Peixoto

 

Livro 1 - Ramatis - Evolução no Planeta Azul.pdf

 

..."Esse inconsciente coletivo está continuamente sendo forjado pelo ferramenteiro do
carma, incansável em manipular o fogo do tempo para "moldá-lo" à nova mentalidade
planetária. Inevitavelmente estais caminhando para um "novo"entendimento da Unidade
Cósmica que vos envolve, e o sentimento religioso que está se firmando cada vez mais liberar-
vos-á das intolerâncias. Em pequena exemplificação: alguém que tivesse sido fiel inquisidor de
outrora, e hoje é destacado orador espiritualista, defensor das reencarnações; os ricos
alquimistas hereges de ontem, hoje a dar consulta para os doentes nos terreiros de Umbanda,
num perfeito mecanismo de retorno, já que esses enfermos "representam" todos aqueles que
foram prejudicados pelos rituais de magia utilizados por esses poderosos magos do passado; e
assim se resgata o equilíbrio com a Lei e todos evoluem.
Sois colocados em situações que vos contrariaram intensamente no passado remoto,
mas agora vos libertam dos ódios e sectarismos, preparando-vos para a convivência fraternal
imposta pela Nova Era. Essas decorrências cármicas retificativas num continuo tempo
inexorável, determinado pelo ciclo carnal, reencarnacionista, inquestionavelmente estão vos
conduzindo a um novo psiquismo em que preponderará a amorosidade, o que não quer dizer
opiniões igualitárias, mas convivência harmoniosa entre as diferenças, pois os pontos em
comum serão mais abrangentes que os divergentes. A igualdade na diversidade está no amor."
         

Saudações fraternas,

 

Francisco de Ogum,

Pai Pequeno no Terreiro de Umbanda

Pai Oxala e Mãe Iemanja

publicado por galileu às 15:25 | comentar | ver comentários (1) | favorito
05
Jan 11

Caminhando

Caminhando...

 

Sempre que entramos num novo ano, muitos de nós, projectamos de certa forma o nosso caminho, seja em previsões, antecipações ou simples votos e promessas. Neste ano de 2011 eu desejo a todos um longo caminho! Um caminho de evolução, que espero, possa ser repleto de momentos de introspecção, ponderação e compassivo. De qualquer forma, mesmo que esse caminho se mostre mais acidentado do que à partida desejaríamos, estou certo que é o melhor caminho para o nosso crescimento. Por vezes o caminho é feito de dificuldade sem que nos apercebamos do real contributo que demos para que siga essa via... talvez essa resposta esteja numa outra vida... ou talvez não a queiramos ver nesta... ou quem sabe, estamos a ser afectados pelo todo ou seja pelo conjunto de almas com as quais partilhamos de alguma forma o caminho: família? Empresa? País? Mundo? Quem sabe?! De que forma conduzimos nossas expectativas de vida? Temos um tempo limitado em cada encarnação, para sermos inocentes, crescermos, descobrir-nos em todo o esplendor de nossa juventude, de nos entregar-mos e de crescer, produzir, etc. para além do óbvio escapa-nos por vezes o essencial: o tempo de evoluir. Como sabemos se estamos realmente a evoluir espiritualmente? Muitos caem na presunção das certezas vãs. Contudo, sabemos que temos que fazer o caminho, escolher um de entre vários e percorre-lo incessantemente. Seja qual for o caminho escolhido, deverás (digo a mim próprio) tornar-te progressivamente mais sensível ao mundo, desenvolver a tua empatia, viver e propiciar paz, procurar e difundir conhecimento, partilhar a tua consciência, fomentar a fraternidade, respeitar a diferença. Poderia continuar a indicar atributos de evolução, mas de que serviria se na maioria das vezes somos parciais na auto-análise? Tendemos a contextualizar as nossas faltas, a desculpar nossas intromissões, omissões e justificar as nossas ofensas, ou pelo menos a disfarçar o seu real alcance. Ao contrário, elevamos nossos sofrimentos ao altar da auto-piedade, colocando-nos à frente dos demais, exacerbando a falta de compreensão para com os nossos propósitos, palavras ou acções, enfim... estou certo que não devemos julgar a ninguém e duvido muito da capacidade de nos julgar a nós próprios pois invariavelmente cairemos na parcialidade. Enquanto seres viventes, estamos permanentemente limitados na consciência e na percepção e desta forma mostramos de uma forma mais autêntica o nosso âmago. Deus e os Orixás facultam-nos muitos recursos mas impõem esta limitação por certo com propósito. Na verdade, aquilo que um espírito carrega de uma vida para outra revela-se muito mais no inconsciente e no subconsciente e assim sendo, esta será a prova da autenticidade dos aprendizados a que nos propomos. Por este mesmo motivo, me envergonho de algumas exaltações, de umas tantas precipitações entre outros limites que reconheço manter, mesmo sabedor do impacto e do significado que têm no que se relaciona com o progresso espiritual. Tenho pois que instruir mais a minha mente e o meu coração, na bondade, na compaixão e na ponderação de modo a moldar melhor o meu "Eu" que se revela de quando em quando , menos do que já aconteceu em tempos, mas ainda assim muito mais do que seria de esperar por mim próprio. Não quero com isto fazer crer que nos devemos recriminar, pois cairíamos mais uma vez na auto comiseração e o que pretendemos é efectivamente prosseguir e para tal temos que perdoar as faltas cometidas, seja pelos demais seja por nós próprios sem que tal signifique uma fuga à responsabilidade! Por vezes, tendemos a  remoer acontecimentos marcantes, sejam causados por outros  sejam eles de alguma forma causados por nós e essas questões assumem ou podem assumir formas de vingança, raiva, ressentimento ou na melhor das hipóteses quando a consciência aperta, o remorso. Estes são sentimentos de extrema negatividade que acabam por atrair outros de igual magnitude. Temos que perdoar e pedir perdão, evitar a sua repetição e continuar o caminho do aprendizado. em ultima análise é errando que se aprende, se a humildade for nossa irmã e a segurarmos em nossos corações. A humildade permite-nos o aprendizado e o orgulho torna-nos estáticos, inflexíveis.  Votos para 2011?? sim.. que possamos todos continuar nesse caminho de evolução da única forma que conheço: caminhando.

 

Axé,

Francisco de Ogum

Pai Pequeno

Terreiro de Umbanda Pai Oxala Mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 17:25 | comentar | favorito

Localização


Ver Terreiro de Umbanda num mapa maior