Esperança

Após um longo interregno , dirijo-me a todos mais uma vez para vos falar de esperança. Porquê este tema? Porque vivemos com pouca esperança , num dia a dia amargurado. Portugal atravessa um crise severa já de longos anos, com perda de segurança e sem fim à vista...ou pelo menos com horizontes sempre ensombrados por eventos aparentemente inesperados que vêm afundando a já tão rara e preciosa esperança num mar de tristeza e amargura. Por onde quer que andemos, parecemos rodeados de sentimentos de impotência e amargura. Como podemos encontrar forças para prosseguir, como aliviar o dia a dia e voltar a acreditar? já agora pergunto eu, acreditar em quê e em quem?

 

Todos os movimentos espiritualistas são unânimes num ponto: O milénio começado no ano 2000 pretende ser uma Era de grandes mudanças na consciência humana sobre os valores e sobre a própria humanidade. As estruturas politicas, a ordem financeira e económicas vigentes irão sucumbir para dar lugar a um mundo mais justo, mais sustentável e até mais fraterno! Só que para lá chegarmos teremos que presenciar o desmoronar do velho mundo, à queda de tudo aquilo que ajudou a criar esta sociedade esquizofrenia, a falência dos poderes vigentes, enfim a morte do velho para poder nascer o novo. Uma vez mais no início de um século, avivam-se as rivalidades, as nações dominadas por déspotas ou governados sob a ilusão de uma falsa democracia, vergadas sob o peso da corrupção partem para a Guerra , pois não deixa de ser uma forma de direccionar a atenção das massas populares para um inimigo , permitindo a sua manipulação com a intenção de se auto perpetuarem. Vimos tudo isto ocorrer há exactamente 100 anos na 1ª Grande Guerra e vemos de novo as hostilidades a subirem entre velhos rivais! Mas vemos também a xenofobia, o ódio ao diferente, a intolerância, etc..

 

Como encontrar Esperança se não a cultivamos? como encontrar num mundo tão sombrio um sinal , uma luz, se não fizermos a nossa parte? E mais uma vez temos que nos virar para nós próprios e encontrar no nosso espelho o desacerto para poder corrigi-lo. Temos que baixar a nossa voz se queremos escutar a natureza, temos que desviar os olhos do ilusório para nos focarmos na realidade. Porque continuamos a buscar nas redes sociais o que não conseguimos alcançar na realidade, ou seja a amizade e o companheirismo, a troca e o dialogo? Porque no isolamos ao invés de nos darmos? porque temos tanto medo de falhar? Porque só pensamos no nosso prazer e não no bem estar geral? como alcançar esse bem estar se não pensamos no bem estar dos demais.

 

Criámos a ilusão de que o individuo é mais importante que o grupo, seja esse grupo a família, os colegas , enfim o todo. Na verdade somos todos um. Tomos advimos do mesmo útero divino enquanto almas e o nosso trajecto na carne será tão mais penoso quanto desviados nos encontrarmos da nossa essência enquanto filhos do mesmo Deus. Se uma gota não faz o oceano, também o individuo não se reencontrará no isolamento do seu lar, do seu casamento, por vezes até isolados nas próprias mentes! Larguem os instrumentos de alienação, deixem de consumir horas de tv-lixo, de redes sociais e todo um mundo virtual  que não informa, não acrescenta nada de novo ao individuo, pelo contrário alimenta polémicas e humilha o individuo; a alienação seja por drogas, álcool , cibernética ou outra apenas subtrai e não preenche ninguém.

 

Abram as vossas mentes e o vosso coração! Olhem à vossa volta e sintam. Deixem-se invadir pelo riso das crianças, pelo brilho do orvalho, pelo aroma da maresia ... respeitem o ser humano,  a natureza, o planeta , o Todo e busquem a harmonia com Deus.

Recordem-se da lei da acção-reacção! Tudo o que nós pensamos, falamos e agimos provoca um movimento de retorno. Utilizem doçura ao invés de aspereza no trato e na voz! Enterrem o orgulho e aceitem perdoar a quem vos ofendeu, peçam perdão quando  magoarem alguém... pisem com cuidado para não perturbar os demais, ou seja, meçam palavras e evitem perturbar a paz! Não se imponham perante os demais ruidosamente, ostensivamente e despuradamente como vemos acontecer todos os dias . Sejam delicados, suaves, ternos. tomem a iniciativa de ser amáveis sem a pretensão de receber algo em troca. Sejam desinteressados e busquem nos demais a companhia, a troca de ideias a entreajuda. Enalteçam as qualidades alheias e não comentem os defeitos do próximo pois é o positivo que deve sobressair em cada um e o julgamento pressupõe um julgador sem mácula e como sabemos , esses os sem mácula, quando andam na terra não julgam, apenas amam e perdoam.

 

As velas acesas aos anjos da Guarda ajudam a iluminar as vossas mentes e a vossa áurea, os banhos de Descarrego aliviam as cargas negativas, os banhos de ervas enegizam, acalmam e possibilitam uma melhor recuperação. As Orações ditas e sentidas chegam longe e acalmam a mente e o coração  e trazem ajudas espirituais em auxilio dos necessitados. Mas de que serve tudo isto se não melhoramos como pessoas, no fundo como podemos querer melhorar se não nos esforçamos para mudar aquilo que são as nossas faltas e desacertos?  Como podemos frequentar um templo de paz e amor e ter apenas palavras de arrogância ou de agressividade? Como podemos postar palavras lindas num blog ou no facebook e passarmos o tempo todo a coscuvilhar , ou a falar mal de alguém nas suas costas? Não podemos, pois não?! Sejam cidadãos comuns, umbandistas, médiuns, Pais de Santo, enfim, seja quem for , terá o seu retorno mais tarde ou mais cedo, mas no entretanto contaminam os ambientes que tocam.

 

Façam todos os vossos rituais e todos os esforços, mas acima de tudo, sintam! Pois os actos e as palavras quando não são sentidas transformam-se em hipocrisia! A hipocrisia destrói não só a vossa credibilidade, mas mina a fé alheia, pois semeia a dúvida generalizada nas mentes dos mais inocentes.

 

Eu sei que o mundo em que vivemos incentiva à competição feroz e  voraz, com recurso à mentira e à hipocrisia e que estamos rodeados da prostituição dos valores e os falsos messias já se amontoam gritando soluções maravilhosas, rápidas e sem esforço para tos os males! Mas por favor parem para pensar... não foi assim que chegámos ao mundo de hoje? ele está moribundo e vai morrer! e o queremos nós? morrer junto com esse velho mundo, ou ajudar a construir uma arca de Noé  em nossos corações onde preservamos os valores, o amor e a paz para que possam navegar o dilúvio e prosperar quando finalmente atingirmos terra firme?

 

O trabalho é individual e carece de empenho. Não se impõe nem se dispensa! A Esperança está ao alcance de todos, basta saber cultiva-la.

 

Mãos à Obra!

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno

ATUPOMI

publicado por galileu às 11:20 | comentar | favorito