28
Dez 10

A Felicidade em servir

Saravá,

 

Hoje decidi partilhar um texto que gosto de rever periódicamente. É um texto psicografado que encontrei há muito e que expressa de uma forma tocante o propósito maior que cada um de nós seres na carne carrega.

 

Axé a todos,

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno

 

Terreiro de Umbanda Pai Oxala e Mãe Iemanjá

 

passo a citar:

"A FELICIDADE EM SERVIR
A alma humana não se contenta com uma vida de acordar e dormir, trabalhar e divertir-se, comer e beber. É pelo sentimento de ser útil que ela se realiza

O que lhes faz feliz? Vocês já responderam a essa pergunta? Já, pelo menos, fizeram essa pergunta a si mesmos? Qual será o caminho da felicidade que eu suspeito que vocês ainda não encontraram plenamente na Terra, no estado de consciência em que vivem?

A busca da felicidade não consiste em ter os bens materiais de que precisam. Há pessoas abastadas, com muito dinheiro mesmo e que são infelizes. A felicidade consiste em servir e ser útil.

Vocês podem ver que quando estão fazendo algo que beneficia os outros, colhem benefícios para si mesmos. Quando recebem de volta o sorriso e o agradecimento das pessoas que auxiliam, o coração se enche de felicidade. Uma satisfação enorme preenche vocês, o sentimento de ser útil, de trocar energia, de servir. Eu me atreveria a dizer que a felicidade que vocês procuram na vida está em servir. Servir a propósitos mais elevados, servir à manutenção da vida, servir desinteressadamente deixando fluir o amor incondicional que é o alimento da vida.

As pessoas que se alistam nessas frentes voluntárias de auxílio ao próximo não fazem isso porque querem ser boazinhas ou por remorso, fazem porque descobriram o prazer de servir. Quando vocês servem, quando auxiliam alguém de livre e espontânea vontade, por uma motivação interna que os impele para isso, vocês estão deixando fluir o amor de Deus e não há nada mais graticante do que sentir-se um canal para o amor de Deus. A sensação de estar vivo, de ser útil e de fazer diferença no mundo compensa qualquer coisa.

Há muitas maneiras de servir e cada um tem a sua, cada um pode encontrar a maneira pela qual sinta-se mais vivo e participante. Há pessoas que servem as crianças, cuidando delas, ensinando-lhe as pequenas coisas da vida e brincando com elas. Há os que gostam de servir aos idosos, minorando o sofrimento e a solidão que eles sentem numa fase em que tantos sonhos ficaram para trás, em que as dores e a decadência física apagam o brilho da vida. Há os que gostam de servir em hospitais, há também os que servem nas escolas, os que ensinam todo tipo de coisas que faltam aos menos favorecidos. Há os canais que servem à humanidade na medida em que se colocam à disposição para que as informações e orientações espirituais cheguem.

A qualidade de um serviço se mede pelo tanto de amor incondicional que se irradia do coração quando estão nele. A qualidade se faz sentir também por vocês, pois quando ficam alegres, enlevados, elevados e satisfeitos, estão realizando o seu serviço com qualidade e inteireza. Não é possível sentir isso quando se serve por obrigação, por remorso ou por culpa. Para servir assim, é melhor não fazer nada, pois o seviço só reavivaria nesse caso sentimentos que vocês precisam deixar de lado. O serviço bem realizado é aquele que em primeiro lugar satisfaz e preenche quem o realiza, pois essa é a medida do quanto o ato é verdadeiro, espontâneo e natural como é o amor incondicional de Deus. Pode-se fazer uma coisa muito simples, varrer um chão, lavar uma louça, catar um papel na rua, mas se há esse sentimento, esse contentamento interior por estar servindo, então o serviço é legítimo, é real e tão nobre quanto qualquer outro aos olhos de Deus.

Filhos, a vida pode ser serviço. Serviço a vocês mesmos, às suas almas em evolução. Na medida em que passam a viver com alegria e leveza, motivados por um sentimento maior, vocês estão servindo a Deus e a si mesmos. Servir não é ser escravo, não é fazer o que os outros mandam, não é uma condenação, nem uma humilhação, nem uma obrigação. O sentido mais elevado de servir está em deixar essa energia de amor incondicional perpassar vocês e isso se manifesta de diversas formas. Não importa o que se faz, importa é o sentimento e a energia que estão sendo colocados no que se faz.

Servir: tem
ser dentro dessa palavra, ser que é o verbo afirmativo da existência, a existência que é o sinônimo de Deus e de tudo o que vocês são. Veja que na palavra servir há ser e vir, vir a ser, não é bonito? Meditem no que é vir a ser, peçam ajuda ao Eu Superior de vocês, peçam que lhes aponte o caminho do serviço em suas vidas. O serviço deve começar por si mesmos, como já disse, pelo serviço à própria alma, à propria divindade interna que deseja manifestar-se através de vocês. Quando se vive em serviço, não há cansaço, não há contrariedade, não há esmorecimento da vontade. Quanto mais se serve, mais se deseja servir, mais se deseja ampliar e perpetuar o sentimento de paz e alegria interior que advém do serviço.

Pensem nisso, no que podem servir, no que podem fazer a princípio por si mesmos, pela evolução de suas consciências, e o que podem fazer pelos outros, pela realização de Deus através dos outros. O que podem fazer pelo seu combalido planeta, pela natureza depauperada desse lindo orbe que habitam. O que podem fazer para dar um novo sentido à sua vida, para preenchê-la de momentos e satisfação. O que podem fazer para que tenham aquele sentimento de não ver o tampo passar - quando se serve, perde-se a noção do tempo. Perde-se também a noção de limites entre vocês e os outros. Há um estado de fusão, é uma coisa muito bonita e forte de para se experimentar.

Analisem a vida de vocês e vejam o quanto existe disso, em que momentos vocês se sentiram assim, e podem apostar que fazendo isso é que estarão servindo, que estarão enchendo suas vidas de significado. Disso vem a felicidade, filhos. A alma humana não se contenta apenas em trabalhar, comer, beber, dormir, divertir-se e levar a vida sem um propósito maior. Por isso é que tantos estão insatisfeitos e vazios. Até mesmo os ricos, os muito abastados, aqueles que poderiam dedicar sua vida à diversão e ao prazer - que vocês idenficam como fontes de felicidade - até eles são muitas vezes tristes e vazios. Podem aparentar segurança, autosuficiência, poder e plenitude, mas no fundo são pessoas vazias.

A vida de vocês nesse planeta está baseado no serviço a coisas externas, a objetivos exteriores. Vocês empregam energia nisso e ela se esvai, ela é só consumida e não volta para vocês. É um gasto de energia pelo canal errado, um canal que não passa pelo coração, por isso não lhes dá a sensação de preenchimento. Ricos e pobres nesse planeta chegam à conclusão do vazio em sua vida, uns porque têm tudo e ainda tudo lhes falta, porque encaram a tremenda frustração de ter se esforçado, de ter empregado a vida numa busca que não levou a nada, outros porque são privados de tudo, não puderam nem ter a chance de experimentar um pouco mais de satisfação na vida e se sentem excluídos.

Por isso, também, é que a sexualidade é tão valorizada, tão exacerbada entre vocês, ela é uma fonte de satisfação, mas uma satisfação apenas momentânea, fugaz. Vocês precisam de mais e mais experiências e alguns passam a vida em busca disso. É preciso ter cada vez mais, coisas cada vez mais ousadas, até aberrantes, para obter novas sensações. A gula é outra fonte de busca de satisfação e preenchimento, a paixão pela velocidade, o gosto pelo perigo que descarrega adrenalina e leva à euforia, as drogas, o consumismo desenfreado. Tudo isso são as buscas dos seres humanos, são formas de obterem felicidade, mas percebam que nada disso traz o sentimento de preenchimento que procuram - enquanto aquela freirinha que serve na periferia ou aquela dona de casa que emprega parte do tempo dela ajudando numa creche são pessoas felizes, radiantes, estão de bem com elas mesmas e cheias de paz.

Filhos, perguntem-se o que lhes faz feliz, vejam no fundo do coração o que têm vontade de fazer. Talvez não tenham experimentado isso ainda, assim exercitem a imaginação, imaginem-se em várias situações e vejam o sentimento que vem disso. Busquem um sentido mais elevado para suas vidas, busquem alguma coisa, dediquem-se a ela e comecem a experimentar um outro modo de vida. Deixem que o Amor de Deus flua por meio de vocês e se realizarão com isso. Isso é servir, não importa como, cada um encontra a sua vocação.


Na Luz me despeço,
Aprica

Autor:
Aprica
Canal:
Regina Giannetti"

 

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 16:41 | comentar | favorito
14
Dez 10

Balanço de fim de ano

Sarava a todos os irmãos , frequentadores do Terreiro, Umbandistas espalhados pelo mundo fora, enfim a todos os internautas!

 

Eis que chegámos a Dezembro e após havermos louvado mais uma vez em nosso Terreiro na Assafora, mãe Iansã e mãe Oxum, nos preparamos para louvar no dia 18.12.2010 Pai Oxalá e Senhor Omulú, terminando este ano o nosso calendário litúrgico, disponibilizando duas semanas de descanso ao corpo mediúnico da casa.  Em jeito de balanço de fim de ano, gostaria de compartilhar convosco o que foi este ano de 2010 no Terreiro Pai Oxalá Mãe Iemanja. Em primeiro lugar recordo que este foi o ano VII desta casa, ano abençoado por pai Ogum com sua força inigualável e que comemorámos em simultâneo no dia 24 de Abril com a Louvação ao Orixá, já que foi nesta data que abrimos pela primeira vez as portas ao público. Foi um ano em que foram Iniciados mais alguns filhos no Santo e que vimos partir outros  aos quais desejamos as maiores felicidades em seus novos desafios. Enfim, os caminhos do destino cruzam-se, entrecruzam-se e separam-se impulsionados na vontade de cada um ou sob a vontade maior de nossos Orixás. Mais uma vez crescemos e desta vez levámos a cabo um projecto que já acarinhávamos há muito: a constituição de uma entidade de Direito privado dedicada à prática Religiosa, devidamente reconhecida pelas entidades oficiais desta nação! Este acto oficial viria a ser consumado no inicio de Novembro e nasceu assim a ATUPOMI- Associação de cariz religioso sem fins lucrativos. Conseguimos desta forma manter a matriz do nosso projecto, assente nas premissas básicas da Umbanda e na vontade expressa da Coroa Espiritual desta Casa: assistência espiritual caritativa e desinteressada! Pudemos ainda realizar algumas obras e reformas nos espaços interiores de modo a termos mais espaço para acomodar mais consulentes e por outro lado uma maior operacionalidade nos espaços de serviço.

 

Em termos litúrgicos foi um ano em que levámos a bom porto 18 sessões de Pretos-Velhos, 12 sessões de Caboclos, 12 Sessões de Descarrego, 9 sessões de Energização , 9 de Energização e 10 sessões comemorativas em que louvámos Oxalá, Iemanjá, Ogum, Xangô, Oxossi, Omulu-Obaloaê, Oxum, Iansã, Nanã, os Pretos-Velhos, as Crianças, os Exus. Contámos ainda com 3 dias dedicados à Iniciação e cerimoniais de iniciação de filhos de Santo. Tudo isto aos Sábados, dias que começamos invariavelmente às 10h com a limpeza e harmonização dos espaços, oferendas e lmantações, distribuição de senhas de consulta, organização de consultas e Trabalhos de Linhas, preparação de banhos e defumações, etc, etc, etc. As Giras decorrem nos horários previstos, 2 em cada Sábado (Caboclos seguida de Descarrego ou Energização seguida de Pretos Velhos ou ainda  Desenvolvimento seguido de Pretos-Velhos),contudo há sempre que preparar o Terreiro para uma nova semana, fazer marcações de trabalhos , descarregos e energizações , trabalhos de secretaria, arrumos e tudo o que implica um espaço como este, pelo que os nossos Sábados se estendam quase sempre pela noite dentro, numa media diária de 14 horas! Grosso modo dedicámos 896 horas cada um de nós neste Terreiro, sendo que todos os trabalhos são executados pelos médiuns e Cambonos do Terreiro de forma altruísta sem receber qualquer remuneração pelo mesmo, tendo ainda  os membros e associados desta casa que contribuir com uma quota mensal obrigatória para subsistência da casa.

 

Paralelamente iniciámos uma colaboração frutuosa com a Faculdade de Teologia Umbandista de São Paulo, entidade oficialmente reconhecida pelo Ministério da Educação do Brasil que forma Bacharéis em Teologia e que nos permitiu a realização neste espaço em horário e dias próprios para o efeito, de cursos de extensão universitária abertos ao público em Geral. Esta oportunidade decorreu da presença do Pai Fernando de Oxalá,  nosso líder Espiritual  no 2º Congresso de Umbanda no Brasil e sob convite pessoal de Pai Rivas Neto. Temos desta forma a certeza de estar a colaborar para a evolução da Umbanda em terras Lusas e esperamos poder continuar a oferecer mais cursos e mais conhecimento a todos os que nos procuram.

 

Como curiosidade realço que temos um Sábado por mês de descanso que muitos de nós aproveitamos para o convívio entre irmãos de Santo pois a Umbanda é um modo  de vida, uma causa e um foco de luz e felicidade em nossas vidas! Estou certo poder falar em nome de todos ao referir que não nos é mais possível imaginar a vida sem nossas queridas Entidades e sem o calor do seu amor! Deixo aqui um abraço sentido a todos os filhos e irmãos que constituem a corrente mediúnica da Casa bem como aqueles que se sentam do lado de fora das cordas que separam o Congá e que já vão fazendo parte da família, muitos deles presentes todos os sábados mesmo sem solicitarem consulta com as entidades, mas tão somente para poderem partilhar do Axé.

 

A todos, os votos de Paz, amor e saúde! Axé e prosperidade em nossas vidas.

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno do

Terreiro de Umbanda Pai Oxala Mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 19:41 | comentar | favorito
14
Set 10

Caridade no Terreiro Pai Oxala e mãe Iemanjá

Muitas vezes nos perguntam se o nosso Terreiro cobra por consultas ou trabalhos e a resposta é invariavelmente não! Para surpresa e espanto de muitos. Não temos nada contra aqueles que cobram pelos serviços prestados desde que trabalhem com seriedade; no entanto este terreiro foi aberto na condição de ser uma casa que colocasse ao alcance de todos, inclusive os mais desfavorecidos, o auxílio espiritual! Condição esta colocada pela Coroa Espiritual da Casa.Para esclarecimento daqueles que o pretendam saber transcrevo em resumo a forma como trabalhamos e nos financiamos: As consultas são em numero limitado e num máximo de 7 por médium por sessão de consulta sendo solicitado 1 euro de contribuição facultativa para auxilio nas despesas do Terreiro, inclusive o café, o chá e água que colocamos à descrição! Existe uma caixa de donativos onde todos os que possam e desejam contribuir o façam com total anonimato.Frequentemente são facultados banhos de ervas e confeccionados os ingredientes para os trabalhos que são trazidos pelos consulentes (cada um adquire os materiais indicados em consulta previa com a entidade e traz ao terreiro para os trabalhos necessários). As despesas fixas da casa (renda, agua, luz, gás) são pagas com base na contribuição mensal de 35€ que cada membro do corpo mediunico (mediuns e cambonos) além de alguns membros honorários pagam e claro está nos donativos. Acresce que nem sempre os membros do corpo mediunico podem pagar por dificuldades momentâneas ou mais prolongadas, sendo que nestes casos e com autorização da hierarquia do Terreiro, costumam ser dispensados de pagamento. Também a hierarquia da casa paga a sua mensalidade tal como qualquer outro membro. Desta forma, temos podido estar de portas abertas desde 2003! É um facto que temos um Terreiro humilde e por vezes pode faltar algum conforto de ordem material, mas esta é a casa que todos nós decidimos abraçar, precisamente porque nela se encontra o valor da Caridade e assistencialidade para com a Sociedade. Sem descriminar. Esperamos poder honrar sempre a Oxalá e a Iemanjá a quem devotamos o trabalho desta casa, aos demais Orixás, à Coroa Espiritual desta casa e a todas as entidades espirituais que sempre nos têm auxiliado.

 

Francisco de Ogum

Pai pequeno

Terreiro de umbanda pai Oxalá e mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 17:42 | comentar | ver comentários (1) | favorito
10
Set 10

Borboletas e Traças

Saravá a todos,

 

Venho falar hoje da autenticidade, do amor e  da dedicação que alguns colocam naquela que é ou devia ser a nossa querida Umbanda. Sendo esta religião, uma forma inteligente de entrar em "contacto" se assim posso dizer, com o Astral Superior; se efectivamente acreditamos numa organização superior, em Entidades Espirituais de Luz, na reencarnação e na imperiosa evolução moral de todos os que por cá andam encarnados, então porque continuamos a assistir a beatos de amor fácil no verbo, na língua e nos gestos e de tão efémera perseverança na persecução dos seus caminhos? Não que seja um exclusivo da Umbanda, longe disso, pois povoam todas as religiões desde sempre. No caminho que percorro já há alguns anos ao lado de Pai Fernando, tenho-me deparado por vezes com indivíduos que cantam a Umbanda, que se emocionam a cada verso de um ponto cantado, que parecem beber as palavras de nossos Pais-Velhos com aparente devoção. No entanto, muitos deles apenas parecem querer alcançar um estado de Graça, que imaginam poder possuir! Crêem que talvez possam atingir a iluminação em vida e que desta forma possam viver sem dificuldades, sem negações, sem adversidades e que de alguma forma os Orixás se irão enternecer pelas suas qualidades para os favorecer acima de tudo e de todos! A realidade é bem distinta! É verdade que através de nossas queridas Entidades Espirituais, podemos atingir graças e bênçãos difíceis de imaginar e também é verdade que nos são indicados caminhos de melhoramento pessoal, caminhos esses que tendem a ser negligenciados... como se pudéssemos destacar do nosso Karma as partes que não nos interessam... como se de cupões de desconto se tratassem! Alguns devem pensar que podem apenas receber as bênçãos dos céus sem nunca se interrogarem que falhas possuem que possam impedir o alcance de suas reivindicações! É incrível que hoje em dia ninguém implore ou rogue o que seja... parece que estamos produzindo uma nação de mimados reivindicadores que se acham na posse de todos os direitos. Estas posturas, são por vezes disfarçadas por enganosas lamentações e vitimizações! Vitimizando-se dos seu infortúnio e de seu azar, o ser encarnado nega a si mesmo a realidade! Precisa de trabalhar para melhorar a sua forma de encarar a vida, o seu semelhante  e a si próprio! Mas voltemos ao cerne da questão:O que fazem estas pessoas num Centro, Terreiro ou Tenda de Umbanda? Ouvindo repetidamente as mensagens de seus Pais no Santo, das Entidades e lendo maravilhosos textos,  sobre o necessário espírito de missão, sobre o doar-se ao próximo e todas as qualidades que farão de nós certamente melhores como cidadãos, como almas em evolução e certamente mais próximos de nossas Entidades, então o que faz com que alguns destes filhos, acabem por participar em pensamentos, palavras e actos de tão recorrente desgraça que assola a nossa sociedade? refiro-me ao escárnio, à intriga, à inveja e por vezes ao orgulho! Sentimentos baixos, pensamentos negativos que não são mais do que auto-retratos daqueles que os carregam. Sem frontalidade, sem coragem nem capacidade de pensar com verdadeiro desprendimento de suas razões egoísticas, deixam por vezes cair a máscara.  Conseguem provocar em mim, confesso, alguns momentos de tristeza, pois sou humano e originam ainda em meu espírito alguma agitação, a ingratidão e o carácter vil de quem ousa conspurcar solo sagrado de forma tão infame ao invés de se dedicarem a servir com amor e humildade. Uma vez digeridas e assimiladas as desgraças humanas que teimam em persistir mesmo naqueles que parecem querer de facto, abraçar uma causa, com amor e dedicação, resta-nos olhar para os que realmente continuam serenos em sua jornada, trabalhando arduamente, labutando a cada dia nas suas vidas privadas e doando de si à causa, ao próximo, ao seu Terreiro e aos seus irmãos. É a visão destes que ao longo dos anos permanecem fieis, amorosos e sempre rejuvenescidos nos votos e na firmeza com que enfrentam as batalhas, que regressa efectivamente a minha serenidade! Agradeço pois a todos eles, que sabem verdadeiramente quem são! Agradeço por partilharem a mesma visão, por não se deixarem abater pela vida , pela maledicência nem pelos apelos do ego. É óbvio que aqueles que são médiuns e recebem as suas entidades, saberão como os nossos Pretos-Velhos, Caboclos, Exus, Crianças e outros nos ajudam e como nos deixam leves quando finalmente sobem até à Aruanda! Por tudo aquilo que tenho vivido nestes 7 anos de porta aberta, ajudando o Pai Fernando a construir uma casa de Caridade, que cresce paulatinamente e que tem pilares bem assentes, fundos e belos: As nossas amadas Entidades e os nossos mais leais filhos de Santo! Quando penso realmente nesta bênção, então revejo como somos apenas uma Luz que Brilha na escuridão da vida na Terra! Tal como as traças que são atraídas à luz e chocam na lâmpada que as ilumina, assim somos nós enquanto Casa de Luz, atraindo , tal como tantas outras casas tenho a certeza, as traças da vida! Parecem Borboletas, mas são apenas traças em busca da luz e na impossibilidade de entender a origem da Luz, lançam-se furiosas contra o seu âmago, tentando quem sabe roubar essa fonte de calor! A luz verdadeira meus queridos, aquela que tudo ilumina e perdura no escuro, essa luz não pode ser conseguida numa qualquer fonte! Ela tem que habitar no nosso coração! Tem que se renovar a cada dia! Só esta é se tornará infindável... só esta poderá continuar para além de tudo e da própria vida. Por isso, lamento as infelizes traças que vivem entre nós sem nunca conseguirem realmente atingir a sua própria luz. O mundo vive em profundo desequilíbrio e esse desequilíbrio habita em muitos dos que procuram as igrejas, os templos e os terreiros e não podemos esquecer que todos estamos sujeitos a todo o instante às variáveis que tornam tão frágil a a nossa vida como encarnados. Orai e vigiai, mas sobretudo vigiai-vos a vós próprios e não ao vizinho já que somos responsáveis pelos nossos actos e não pelos dos outros.

 

 

Francisco d'Ogum

Pai Pequeno


Terreiro Pai Oxala e Mãe Iemanja


publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 23:48 | comentar | favorito
tags:
10
Ago 10

O trigo e o joio

Quem estiver atento à astrologia e seus trânsitos planetários, certamente compreenderá que obedecemos a ciclos, períodos de influência forte ou fraca que evidenciam alguns aspectos de nossas vidas e enfraquecem outros. Em cada ciclo que se sucede mudam os aspectos e as influencias e assim vamos sendo impulsionados nas nossas sensações e ímpetos de pensamento e discernimento, no fundo afectando a forma como percebemos o mundo, os outros e a nós próprios a cada momento. Não será pois difícil entender que as pessoas se movem por vezes não tanto baseados em convicções e certezas mas sim em impressões e sensações, especialmente se as personalidade desses indivíduos o permitir, ou por vezes  a falta desta. O Karma individual e acima deste o Karma colectivo de uma família, grupo ou nação, pode induzir em cada um o sentimento de desintegração ou inadequação. Por exemplo, sob determinadas influências e estando mais motivados pelos nossos próprios problemas e na forma como nos vemos, podemos depreender das palavras de alguém uma crítica que não nos era dirigida! Se a isso juntarmos uma falta de convicção ou por outras palavras, se duvidarmos de quem profere determinadas palavras, então estão lançadas as condições para um impacto no âmago do individuo! Como vai ser digerido este fenómeno? Depende de sua personalidade, mas também das pressões a que está sujeito, sejam elas originadas por impressões alheias ou por precipitação induzida no momento "astral" que o mesmo se encontra! Efectivamente a vida é uma grande viajem e ao contrário do que pensam  muitos, não somos o centro do universo! Na viajem que empreendemos depressa nos queremos certificar que o nosso caminho está livre e que podemos atingir os nossos fins, esquecendo-nos que estamos limitados pela estrada, caminho de ferro, outro qualquer... não podemos fazer nada se houver um descarrilamento!A carta astral de um individuo pode apontar-lhe um futuro brilhante mas se ou seu país entrar numa guerra inesperada, o individuo ficará sujeito às circunstâncias desse mesma guerra, podendo participar nela, adiando o seu propósito individual, pode ficar ferido ou até falecer! Não existirá certamente um motivo conspirativo ou demanda espiritual no seu cerne, nem tão pouco que alguém  por artes de algum acto de magia negra o tenha levado a esse facto! Da mesma forma, na nossa carruagem partilhamos muitas vezes o espaço com companheiros que a um determinado momento podemos chamar de amigos ou colegas por exemplo, mas inesperadamente chega o momento de um deles se apear por ter de seguir um caminho diferente... a forma como os nossos caminhos divergem podem ser diversas: transferência de emprego, casa, emigração ou até discussões e desacertos! A divergência e convergência de caminhos é constante. Pois é... havendo a pressão e o impulso superior de mudança e divergência, facilmente cedemos nalguns casos à precipitação de vontades contidas ou impulsos mal controlados e acabamos por seguir um caminho que já estava previamente determinado, mas que poderíamos ter seguido de uma forma diferente. A forma como atingimos os nossos objectivos, está muitas vezes à nossa descrição, ou seja pode ser de nossa escolha se o fazemos desta ou daquela forma. A maturidade ajuda-nos, no sentido em que acumulamos experiências que podem ajudar-nos a antecipar alguns comportamentos e assim podermos agir com maior discernimento e tranquilidade; essa maturidade depende também da vontade do individuo em melhorar-se a si mesmo, ter efectivamente a vontade de ser mais amoroso, colaborante, verdadeiro, fraterno e humilde. Se não existir a vontade de melhorar-se a si mesmo, não existirá maturidade nem progresso espiritual! Vejo e revejo muitas vezes os mesmos comportamentos repetitivos e cíclicos daqueles que se interessam com paixão e entrega aparente as grandes causas para depois saírem envoltos em atribulação e desapontamento, não enxergando todavia que buscam algo que nem eles sabem definir e que por algum motivo não o encontraram; qual paixão desenfreada, morre após o encanto inicial... no entanto, o individuo tenda justificar-se a si próprio pelo ocorrido e frequentemente vemos esses indivíduos a urdir teias de traição, jogos de ciúme e protagonismo para que de alguma forma tornem insustentável a continuidade da relação existente colocando-se assim a inevitabilidade de uma saída justificada. Não seria preferível assumir que não era o local ou a hora. Não era o que buscava e talvez não exista o que procura, pois não sabe o que pretende? Claro que sim. A divergência seria assim feita de uma forma mais serena. Por vezes o baixo astral não está no centro destes acontecimentos, mas tão somente à volta deles. Passo a explicar: O vampirismo de energias provenientes da desarmonia e da discussão é bem real e ocorre sempre que as vítimas se coloquem a jeito. Devemos separar realmente o trigo do joio, dentro de nós! Centrar-mo-nos e percebermos o que realmente nos motiva e agir em conformidade. Dizer não à intriga, à ambiguidade, à dissimulação e à vitimização! Sejamos corajosos nas nossas dúvidas e sérios nos propósitos, assumidos naquilo que somos e no que não sabemos de todo. Chega de hipocrisia que mina as relações e os indivíduos! Construamos uma sociedade nova! Hoje! Agora! É urgente.

 

Francisco de Ogum

Pai pequeno

Terreiro de Pai Oxala e Mãe Iemanja

publicado por galileu às 11:40 | comentar | favorito
02
Ago 10

Saluba Nanã

Retomo um post de 2009 sobre Nanã:

 

... vamos louvar este orixá em nosso Terreiro. Nanã, a mais velha das iabás, senhora das lagoas, lagos e charcos. Nanã é ela própria a lei da transmutação, depuração, decantação não só das águas mas sobretudo das almas.Para compreender um pouco melhor os Orixás temos que atentar no facto de eles serem matrizes de criação do mundo fisico, astral e espiritual; encontramos portanto essa matriz no mundo mineral, nos reinos vegatal e animal, nas leis físicas e químicas que regem os organismos simples ou complexos tanto no macro como no microcosmos e por outro lado esta matriz rege de igual modo o mundo espiritual (o mundo espiritual precede o fisico) . Assim podemos atentar naquilo que é a decantação das águas no mundo natural em que por acção do tempo e da gravidade, se depositam as impurezas no fundo das lagoas permitindo que  estas recuperem a pureza à superfície;  movendo-nos da natureza para o ser humano vemos  a sua acção se faz sentir nos processos que determinam o fim de determinados ciclos como por exemplo na menopausa- o fim da fertilidade na mulher (trabalhando com Oxum), ou então no campo emocional  decantando os seres emocionados e preparando-os para uma nova "vida", já mais equilibrada uma vez que este é um dos campos principais de actuação de Nanã: a maturidade emocional.

Por vezes é necessário parar, pensar , deixar passar determinados tumultos internos para podermos compreender o que está a acontecer, para podermos aceitar determinados factos. Por fim, aquele que é o mais delicado dos reinos de actuação deste Orixá.
Falamos pois dos espíritos que fraquejaram durante sua jornada carnal e se entregaram à vivenciação dos seus vícios emocionais, estes serão entregues por Omulu no momento de sua passagem e cabe a Nanã a sua preparação, adormecendo-os  e  libertando-os assim do emocional para uma nova encarnação.

Reverenciemos pois Nanã com o respeito e o apreço que merece, rogando a mãe Nanã que nos ajude a amadurecer, a aceitar o envelhecimento como parte de um prrocesso que conduz a libertação do espirito daquelas que são as amarras da carne, os prazeres e os vícios que nos cegam e nos querem tornar imortais na carne quando deveríamos almejar essa imortalidade no campo onde ela tem efectivamente lugar, ou seja no campo espiritual. Pedimos a Nanã que nos ajude a entender que a vida que agora vivemos deve contribuir para a elevação de nossos sentimentos e de nossa mente de modo a alcançarmos a tranquilidade emocional e a elevação espiritual necessárias para a nossa propria evolução

Saluba Nanã!

Francisco de Ogum

Pai Pequeno no Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por galileu às 21:50 | comentar | ver comentários (1) | favorito
28
Jun 10

XANGÔ

Saravá a todos os irmãos e curiosos que acompanham as actividades promovidas pelo Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá !

 

No passado Sábado dia 26 de Junho de 2010, homenageámos Pai  Xangô e com ele todos os seus trabalhadores no Astral Superior.

 

Xangô é um dos Orixás maiores na Umbanda e um dos primeiros a chegar ao Brasil, havendo um sem número de casas e cultos a ele dedicados  e muito já foi escrito sobre Xangô, bem como sobre os sincretismos com os diversos "tipos" de Xangô, arquétipos dos seus filhos, comidas, etc. Não podemos no entanto esquecer que encontrando-nos nós em Portugal, devemos fazer chegar a nossa mensagem e informação um pouco mais direccionada àqueles que abordam esta religião com natural curiosidade, mas ainda pouco habituados ou familiarizados com os Orixás e o que, de  facto são. Pois bem, em primeiro lugar Orixá é na nossa forma de ver,  a Inteligência  ou Potência emanada de  Deus (Olurum ou Zambi ). No Inicio era o vazio, ou seja antes da existência do Universo no qual residimos existia apenas o vazio; depois os Orixás pela sua vontade criaram luz, massa e movimento numa grande explosão que impulsionou os primeiros elementos físicos a expandirem-se criando as Galáxias, os sistemas solares, planetas,  enfim o Universo. Eles residem num plano Espiritual, donde provém a tal matéria escura que antecedeu a constituição da matéria tal como a conhecemos e do universo. No acto criativo, ou formativo, os Orixás manifestaram-se tanto nos planos espirituais como materiais, estando eles na origem e constituição de todas as estruturas, todos os elementos, essências e manifestações. O ar, fogo, água terra e éter são na verdade elementos manifestos de suas vontades e logo aqui cada um deles imprime um cunho específico, influenciando e complementando-se numa teia intrincada que constitui o todo complexo que é a matéria e a vida! Efectivamente, os Orixás não são a natureza, mas eles manifestam-se na natureza! Eles são constituintes de tudo e chegam até nós de forma directa na manifestação espiritual através de insights de iluminação individual, através das forças elementais da natureza e também de forma mediada pelos espíritos ilustres dos Ancestrais que na Umbanda se revelam sob a forma de Caboclos, Crianças, Pais Velhos e outros. Xangô manifesta-se no reino natural através do elemento fogo enquanto criador e destruidor ; elemento fulcral para a formação do magma que possibilita a organização mineral que depois forma a litoesfera, ou seja a rocha! Firme, estruturado e imutável, excepto pelo fogo! Por isso o seu local vibracional na natureza  por excelência é a pedreira! Mas também o sincretizamos no raio que rasga os céus numa potência ígnea que queima e destrói implacavelmente na sua descarga sobre a terra. No plano espiritual este mesmo potencial está nas leis imutáveis que regem os espíritos: desde logo a lei que diz que existe uma consequência para cada acção, o Karma! Longe dos julgamentos de valor típicos das religiões clássicas ocidentais , desde logo a Cristã que bebeu o conceito de pecado e culpa dos hebreus. A lei de Xangõ é como aquelas leis da natureza que conhecemos tão bem. A lei da gravidade explica que todos os objectos possuidores de massa são atraídos para a Terra, tal como a maçã de Newton que haveria de dar tanto que falar. A lei do Karma afirma que todos os pensamentos, palavras e acções constituem manifestações no plano Astral e que têm como consequência a afectação de toda a realidade interdependente e por isso terá sempre um retorno. Imaginemos um lago sereno num dia sem vento com a superfície calma e regular como um espelho, sobre a qual atiramos uma pedra... formam-se ondas que partem do centro e que vão afectar toda a superfície levando a ondulação até à berma! Assim ocorre com as nossas acções, palavras e pensamentos que afectam desta forma em cadeia todos os que nos rodeiam mesmo que não consigamos vislumbrar como. As mesmas ondas irão até à berma até perder sua energia, mas ao encontrar uma barreira física, chocam e retornam em sentido contrario com força semelhante, é o retorno! Não se trata de pecado e culpa e sim de acção e consequencia. Outra lei essencial, é aquela que faz com que espíritos semelhantes se atraiam, criando verdadeiras egrégoras (entidade criada a partir do grupo) espirituais que gravitam em torno se pensamentos e sentimentos semelhantes, para uns o ódio, o ciúme, o orgulho mas para outros o amor, a compaixão, solidariedade! Cabe a cada um de nós escolher a que egrégora queremos pertencer e para tal apenas temos que mudar a forma como vibramos, que pensamentos e emoções repetimos, por forma a nos reunir aos nossos semelhantes espirituais, tanto encarnados como desencarnados. Nós seres humanos enquanto encarnados e limitados aos condicionalismos de uma existência física, apenas contactamos com a realidade de forma fraccionada, possuindo sómente perspectivas da realidade e nunca conseguimos vislumbrar a realidade como o todo e por isso mesmo fraccionamos a nossa concepção em pequenas porções com a finalidade de conseguirmos racionalizar as nossas percepções e por isso mesmo as nossas criações padecem dessa mesma limitação. Assim sendo,  a lei dos homens será sempre subjectiva e falível! No entanto, o simples desejo de harmonia e ordem, que está na base da necessidade de criação de todos os sistemas jurídicos criados pelo  Homem    são  em si mesmos uma expressão do nosso Eu Superior, aquela centelha divina que todas as Almas possuem e que clamam por valores mais elevados, embora não o façam de forma continua e constante pois o caminho que leva à exaltação dessa porção em cada um de nós tem de ser acarinhada e alimentada constantemente, para não sucumbir ao ambiente tendencioso e inquinado que constitui infelizmente as sociedades em que habitamos, uma vez mais por afinidade. Sim por afinidade, pois se nos encontramos aqui e agora neste mundo é porque ainda não conseguimos ultrapassar as nossas limitações. Por oposição à lei humana, a Lei de Xangô é implacável, ela actua sobre tudo e todos como o machado de dois gumes que transporta na iconografia yorubá, pois esse machado corta em duas direcções : quando vai e quando retorna! Acção e consequência ou Karma. A Pai Xangô pedimos que nos inspire de modo a sermos conscienciosos, precisos, metódicos, trabalhadores, simples, ordenados e amorosos. Desta forma podemos receber dele o Axé e a virtude que nos permitirá influenciar positivamente o mundo em que vivemos ainda que limitados à proporcionalidade da nossa condição, mas crentes que poderemos formar uma grande egrégora em nossos terreiros, na nossa cidade, no país em que vivemos e por fim no planeta, equilibrando as forças que o regem! Todos temos que contribuir e esta é a forma que encontro de poder tocar, assim espero a consciência de alguns, no meu percurso enquanto cidadão deste mundo.

 

Axé a todos, Kaô Cabecile

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno

Terreiro de Pai Oxala e Mãe Iemanjá - A Umbanda em Portugal

publicado por galileu às 15:50 | comentar | favorito
11
Jun 10

Exu na Umbanda

Saravá a todos os seguidores deste espaço de opinião que é o Blog do Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá. Não tendo a pretensão de tudo saber nem tão pouco de reinventar o que já existe, limito-me a expor algumas considerações acerca dos temas que consideramos pertinentes em nossa casa e no caminhar que fazemos, no contacto que mantemos com os seguidores, amigos, irmãos , filhos de Santo e até mesmo com aqueles que nos acompanham e nos procuram em cada sábado em Assafora. A internet possibilita um manancial de informação, mas como em tudo na vida, existem sempre muitas versões e visões de uma mesma matéria, pelo que muitas vezes, surge a confusão onde deveria reinar o esclarecimento. Neste mês de Junho, Portugal comemora de forma efusiva os santos populares e entre estes merece especial destaque Santo António de Lisboa, Mestre e Doutor da Igreja Católica, é ele também sicretizado com Ogum em algumas regiões Brasileiras e com Exú Tranca-Ruas noutras, por exemplo no rio de Janeiro. Estes sincretismos são diferentes consoante as comunidades em que surgiram. Vem este facto também a propósito da evocação litúrgica especial que se faz em muitos terreiros por esta altura de seu Tranca Ruas. Exú antes de mais é considerado entre os povos africanos como Orixá , tal como o fazem os diferentes Candomblés, pois ele configura a materialização de nossa existência, tanto a materialização do planeta como também a materialização do Homem. Se os Senhores Criadores do Universo são os Orixás,  por Vontade de Zambi, então a eles cabe-lhes as essencias constituintes tanto dos planos naturais quanto sobrenaturais, podendo ser sentida no reino natural esta mesma essência tal como espirito humano e de Exú recebemos o suporte fisico tanto individual quanto planetário para podermos concretizar a vida na carne! Pegando na parábola bíblica da criação , diria que o barro do qual fomos moldados é de Exu (Bará) e o espírito quem o soprou  foram os Orixás. É por isso que Exú, o grande mensageiro, tem o conhecimento das passagens e encruzilhadas deste mundo e através dele podemos pensar, sentir e realizar; é também através de Exú que entregamos e retiramos Axé, do mundo natural! Quer isto dizer que existe Exú guardião em todos os pontos de força da natureza, criando, mantendo ou destruindo (nascer, viver e morrer) pois esse é o desígnio deste mundo material e tal é necessário para possibilitar as diversas passagens pelos reinos materiais/naturais de um infindável numero de espíritos., ele na verdade tanto se comunica com o mundo quanto com os Orixás. Convém no entanto ressalvar que este Exu, não é o mesmo Exú ou Pomba Gira(Exu feminino) que se comunica nos terreiros através de seus médiuns! Na realidade, estes Exús são espíritos que tendo encarnado ou não, tiveram e têm planos de evolução no reino de Exu, tendo adquirido muitas vezes a forma humana e os modos humanos no estágio que fizeram junto dos seres encarnados, já que esse é o caminho de muitos seres elementares, já que todos os espíritos começam por estágios junto dos reinos minerais, vegetais, animais e por fim junto do Homem de modo depois a prosseguir caminhos que vão desde a evolução como Humano ou em alternativa, evoluindo em esferas de alternativas como é o caso de muitos Exús. Temos um paralelo, aliás com isto mesmo no Catolicismo; Querubins, Anjos, Arcanjos, etc. A função de muitos destes guardiões que têm tal como todos os espíritos graus distintos de evolução, pode ser nuns casos, de proteger os Terreiros e as pessoas que os frequentam,  de energias mais densas , noutros possibilitar as trocas de Axé entre o mundo natural e o Espiritual, auxiliando desta forma os Caboclos , Pretos Velhos, Crianças e outras entidades que dado o seu plano de existência se encontram distantes do manuseamento da matéria. Numa Gira de Umbanda, participam os nossos Ancestrais ilustres (Crianças, Caboclos, Pais velhos, etc), os Exus que os auxiliam directamente e os elementares mais diversos por eles evocados e mantidos. Todos temos Exu ? Sim, claro! Temos o nosso Bará , aquele que acolhe nosso espírito e que é o nosso Exu Pessoal! Temos Entidades protectoras conhecidas também como Exu, independentemente de estarmos em alguma religião Afro-Brasileira? Dificilmente , já que estes estão junto dos seus médiuns porque têm com eles uma ligação espiritual muito especial que provém da missão aceite pelo médium muitas vezes antes mesmo da vida presente e que o veícula a uma religião e a uma prática que antes de mais reconhece a sua existência e o reverência. Exu não é servo de Caboclos e Pretos-velhos como antigamente se pensava, ele é sim um trabalhador incansável que executa a sua missão única. No entanto tenho que ressalvar, que a Exú não deve ser atribuído o papel que os Guias e só eles devem ter! Guiar significa têr o controlo e a direcção e é neste ponto que a Umbanda se divide de outros cultos. A Exú deve caber o percorrer dos caminhos e aos Orixás, através de seus enviados, os Guias e Protectores, deve caber a direcção. A cabeça (Orí) e os pés (significando corpo= Bará ) não devem nunca estar trocados. Aos Mestres iluminados pedimos a luz para que nos mostrem os caminhos diante de nós e aos Exús pedimos a força para prosseguirmos! Existem de facto diferentes graus de evolução de Exús, tal como de outros espíritos, mas uma coisa devemos estar cientes: Exú de Umbanda, tem um comportamento digno e dignificante, embora mais ou menos brincalhão de carácter e não os devemos pois confundir com almas de pouca luz ou médiuns anímicos. A missão de Exú passa desapercebida aos olhos do público que assiste a uma sessão ou Gira , excepto quando assiste a uma gira de Esquerda e no entanto ele está sempre presente tal como estão muitas outras entidades ainda que forma oculta para aqueles que não conseguem vêr para além do plano material.

 

Laroiê, Exu! Exu é mojubá! - Mensageiro, Exu! Exu a vós meus respeitos!

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno do Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 16:05 | comentar | favorito
27
Mai 10

Evolução espiritual, mais que uma necessidade, uma responsabilidade

Saravá a todos,

 

Nos tempos de incerteza que decorrem urge mais uma chamada de atenção: a evolução espiritual é urgente! Falo da evolução Espiritual individual, que afinal atinge a comunidade e acaba por afectar a todos. O mundo em que vivemos está a ser conduzido de forma paranóica e a nossa sociedade é frágil porque é corroída por concepções erradas, prioridades e valores distorcidos baseados na individuo! Não nego que a liberdade e o direito à expressão e opção de cada um deva ser respeitada e afirmada, essa é uma premissa e uma das vitórias civilizacionais alcançadas, pelo menos no mundo dito livre... mas por outro lado, abdicámos em grande medida do ser social que somos, do ser comunitário, solidário e comprometido com o bem estar do todo! Saímos da opressão social do individuo que existia no passado, para uma vivência assente no individualismo unívoco, egoísta e absurdo que funciona como um funil; nele colocamos as nossas responsabilidades para com o próximo, o cuidado dos mais necessitados, enfermos, idosos e crianças, do equilíbrio com o mundo natural e no fim desse funil obtemos apenas a vã glória da prosperidade material individual, que tudo comprimiu  de modo a evitar bloqueios ao seu caminho e objectivo! Seja como for, destroem-se a cada momento vidas,  num ápice, quando se substituem pessoas como quem substitui peças velhas de uma engrenagem com as mais variadas escusas. O sistema produtivo favorece a quantidade a baixo preço e para que isso aconteça, sem prejudicar o bolo que premeia aqueles que têm mais que o suficiente e deste modo se limitam a investir numa lógica de lucro fácil e sem grande envolvimento directo com a actividade, com as pessoas e com tudo o mais que lhes possa provocar constrangimento; hoje em dia um qualquer individuo com disponibilidade financeira,  pode tranquilamente investir e desinvestir, muitas vezes ditar a morte de organizações sem sequer ter noção do alcance dos medidas que potencia, e que muitas vezes equivale a deixar no desemprego milhares de pessoas, algumas delas sem alternativas já que o mesmo sistema dita que se deve aproveitar a energia e disponibilidade dos mais novos de modo a que dêem o máximo , mas quando atingem a meia idade passam a ser encarados como factores pouco produtivos e logo, dispensáveis! Onde está a ética? Onde fica a responsabilidade social? O ser humano encarnado esquece com grande facilidade que ele não é apenas o individuo, que a sua existência não se limita apenas ao seu corpo físico! Gastamos dinheiro, tempo e esforço para obter corpos esculturais, ou passamos dias de sofrimento sem comer, tristes e deprimidos por não o conseguirmos alcançar; enfeita-mo-nos com roupas e acessórios, perseguimos automóveis de sonho e "gadgets" audiovisuais como quem persegue o Santo Graal! No entanto somos apenas pequenas porções de uma grande realidade espiritual, tal como as gotas de água do mar não passam de pequenas porções de Oceano! Isoladas não fazem sentido, juntas são imensas e poderosas. Só através da conexão ao mundo espiritual que habita em nós poderemos de facto cada um, inverter o caminho da auto-destruição! Grande parte daqueles que sentem ou têm  de algum modo, uma vivência com o sagrado em suas vidas, acham-se impotentes perante a grande arquitectura do mundo e que o seu caminho afinal nada significará no computo geral das coisas... enganam-se meus irmãos, pois na verdade estamos interligados de tal forma, que o milagre individual que se opera em cada um , tem um reflexo sobre o todo, tal como é também verdade o caminho inverso! Estamos encarnados, distantes da condição  superior do espírito, mas no entanto podemos a cada momento restabelecer o contacto com o universo divino, seja com o nosso eu superior, seja com os nossos ancestrais ilustres, seja com as Potestades divinas! A Umbanda é um entre vários caminhos possíveis pois não existem caminhos absolutos nem verdades absolutas num mundo que não é de todo absoluto. Mas na Umbanda, temos o privilégio de aprender formas inteligentes de manter o contacto com o mundo espiritual... de contactar os nossos ancestrais ilustres, na forma das entidades tão sobejamente conhecidas de todos nós: Caboclos, Pretos-Velhos, Crianças ou outras; aprendemos a redescobrir a expressão dos Orixás no mundo natural , experimentando e sentindo o Divino em cada espaço natural, procurando a harmonia e o equilíbrio com o mundo natural; por fim aprendemos a encontrar Deus nas coisas,  sejam elas grandes ou pequenas, como nos homens sejam eles conscientes ou não da sua qualidade Divina. Por tudo isto, podemos afirmar que um individuo espiritualizado, é um individuo equilibrado e procura a harmonia e o bem estar do mundo natural, do ser humano e aberto ao progresso sob todas as formas, sempre em respeito e aceitação da diversidade, sem excluir outras verdades e outros caminhos! É pois urgente a espiritualização do Homem e do mundo para que possamos salvar a o planeta dos nossos próprios actos, para que nos possamos realmente evoluir buscando a felicidade e o bem estar de todos e não apenas de uma parte! Politicas e sistemas económicos à parte,  façamos o que realmente interessa, aprendamos a evoluir e partilhemos esse conhecimento com nossos concidadãos, para que esse manancial não se perca dentro do individuo e brote e frutifique e se dissemine, levando a luz de Deus a toda a existência, seja no plano material seja nos sub-planos espirituais que nos são afins!

 

Mais uma vez, desejos de paz e harmonia,

 

Francisco de Ogum,

Pai Pequeno


http://umbanda.com.sapo.pt

publicado por galileu às 11:41 | comentar | favorito
11
Mai 10

Salvé os Pretos-Velhos de Umbanda

Saravá os nossos amados PRETOS E PRETAS VELHAS de Umbanda, laboriosos trabalhadores da Luz Divina, desbravando o agreste campo de cultivo do Espírito que é este mundo e em particular este nosso Portugal. Ainda hoje em determinadas mentes tacanhas, o Espírito para ser elevado e iluminado tem de possuir cultura, conhecimento empírico, refinamento no trato e claro está um vocabulário extenso, cuidado e demonstrativo de todas aquelas qualidades que infelizmente se continuam a valorizar no ser humano, numa perspectiva errada de que o conteúdo tem sempre uma correspondência directa com a aparência. Alguns médiuns videntes de outros movimentos espiritualistas desconfiam ao verificar que as entidades de Umbanda apesar de falarem como Caboclos e Pretos Velhos, mostram-se afinal das mais variadas formas inclusive como frades, médicos, europeus, asiáticos, etc. Será difícil entender que o espírito depois de se ver livre da prisão do ciclo de encarnações sucessivas a que se sujeita num processo longo de aprendizado e experimentação, se eleve a uma qualidade em que possa escolher de entre o seu próprio manancial de vidas passadas as formas e os "jeitos" que melhor entende favorecer a sua comunicação? Não é afinal o homem de uma forma geral demasiado preconceituoso para aceitar o diferente ? não é uma verdade que continua a julgar o próximo insistentemente ? não é verdade que a aparência, hoje sacralizada à categoria de "imagem" se sobrepõe a própria essência do mais genuíno do ser? Parece-me óbvio que muitos mestres escolham formas de comunicação que se encaixem dentro do padrão esperado pela maioria quando se fala de seres de luz! No entanto, para aqueles que procuram o mais genuíno e mais profundo da Alma Humana, encontram nas Entidades à primeira vista mais simples da Umbanda um Oásis. Os Pretos-Velhos tal como os nossos Caboclos, Crianças, e demais entidades, são extraordinariamente humildes! Escolheram as formas que mais se identificavam com a porção mais pobre e marginalizada da sociedade brasileira do inicio do seculo passado com o propósito de chegar a um maior número de pessoas e continuam hoje passados mais de 100 anos a fazê-lo mostrando-nos que a humildade é essencial para o crescimento espiritual! Muitos tiveram vidas de elevado estatuto social, às quais no entanto nunca se referem, preferindo pelo contrário mostrar-se na roupagem de uma vida em que foram escravizados, humilhados, despojados e marginalizados. O Amor e o espírito de missão motivam-os a continuar os caminhos da ascensão junto dos que ainda se debatem na carne. Mostram-nos a cada instante que devemos viver em equilíbrio com a natureza, connosco próprios e com os outros, difundem o perdão, a caridade e o Amor; ensinam-nos que a simplicidade no trato e a humildade são a chave para um sã convivência, que não devemos iludir nem deixar-nos iludir pelas aparências pois que os sentidos sempre nos confundem e que a verdade se encontra na Alma de cada um. Tenho pois a certeza do que é um espírito de Luz e que este não precisa de se dirigir a ninguém em linguagem cuidada e refinada para fazer passar a mensagem do amor ! Sei que a um espírito elevado não lhe interessam as mesquinhas honrarias do mundo terreno e que por isso mesmo não descrimina em função de qualquer tipo de conceito de esfera social, opção política, sexual , religiosa ou otra como fazem os humanos encarnados, mesmo aqueles que por vezes dirigem templos e congregações  religiosas. Sei que as Entidades de Luz com quem tenho a felicidade de conviver há anos, nunca se arvoraram em Deus e se mostram apenas como irmãos em missão de auxilio e que nunca pretendem substituir a consciência de cada um, muito pelo contrário apelam ao sentido de responsabilidade para um maior crescimento individual! Por tudo isto meus irmãos eu sou Umbandista! Porque acredito nos valores do espírito e espero a cada dia que passa poder aproximar-me ainda que devagar, um pouco mais de tão amorosos pais e mães espirituais que são os Pretos Velhos. Dia 13 de Maio é a data que no calendário do umbandista significa, homenagear os PRETOS-VELHOS; no dia 15 de Maio teremos a nossa  sessão Comemorativa no Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá! Gostaria muito que aqueles que recorrem habitualmente aos conselhos sábios destas entidades, pudessem abdicar um pouco dos seus interesses e se dirigissem ao Terreiro apenas com o intuito de lhes agradecer a disponibilidade e os cuidados que todas as sessões recebem, no fundo que demonstrassem um pouco do amor que costumam receber, que entendesse afinal que é dando que se recebe!

 

Axé, muito axé a todos!

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno no Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 12:20 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Localização


Ver Terreiro de Umbanda num mapa maior