Exu na Umbanda

Saravá a todos os seguidores deste espaço de opinião que é o Blog do Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá. Não tendo a pretensão de tudo saber nem tão pouco de reinventar o que já existe, limito-me a expor algumas considerações acerca dos temas que consideramos pertinentes em nossa casa e no caminhar que fazemos, no contacto que mantemos com os seguidores, amigos, irmãos , filhos de Santo e até mesmo com aqueles que nos acompanham e nos procuram em cada sábado em Assafora. A internet possibilita um manancial de informação, mas como em tudo na vida, existem sempre muitas versões e visões de uma mesma matéria, pelo que muitas vezes, surge a confusão onde deveria reinar o esclarecimento. Neste mês de Junho, Portugal comemora de forma efusiva os santos populares e entre estes merece especial destaque Santo António de Lisboa, Mestre e Doutor da Igreja Católica, é ele também sicretizado com Ogum em algumas regiões Brasileiras e com Exú Tranca-Ruas noutras, por exemplo no rio de Janeiro. Estes sincretismos são diferentes consoante as comunidades em que surgiram. Vem este facto também a propósito da evocação litúrgica especial que se faz em muitos terreiros por esta altura de seu Tranca Ruas. Exú antes de mais é considerado entre os povos africanos como Orixá , tal como o fazem os diferentes Candomblés, pois ele configura a materialização de nossa existência, tanto a materialização do planeta como também a materialização do Homem. Se os Senhores Criadores do Universo são os Orixás,  por Vontade de Zambi, então a eles cabe-lhes as essencias constituintes tanto dos planos naturais quanto sobrenaturais, podendo ser sentida no reino natural esta mesma essência tal como espirito humano e de Exú recebemos o suporte fisico tanto individual quanto planetário para podermos concretizar a vida na carne! Pegando na parábola bíblica da criação , diria que o barro do qual fomos moldados é de Exu (Bará) e o espírito quem o soprou  foram os Orixás. É por isso que Exú, o grande mensageiro, tem o conhecimento das passagens e encruzilhadas deste mundo e através dele podemos pensar, sentir e realizar; é também através de Exú que entregamos e retiramos Axé, do mundo natural! Quer isto dizer que existe Exú guardião em todos os pontos de força da natureza, criando, mantendo ou destruindo (nascer, viver e morrer) pois esse é o desígnio deste mundo material e tal é necessário para possibilitar as diversas passagens pelos reinos materiais/naturais de um infindável numero de espíritos., ele na verdade tanto se comunica com o mundo quanto com os Orixás. Convém no entanto ressalvar que este Exu, não é o mesmo Exú ou Pomba Gira(Exu feminino) que se comunica nos terreiros através de seus médiuns! Na realidade, estes Exús são espíritos que tendo encarnado ou não, tiveram e têm planos de evolução no reino de Exu, tendo adquirido muitas vezes a forma humana e os modos humanos no estágio que fizeram junto dos seres encarnados, já que esse é o caminho de muitos seres elementares, já que todos os espíritos começam por estágios junto dos reinos minerais, vegetais, animais e por fim junto do Homem de modo depois a prosseguir caminhos que vão desde a evolução como Humano ou em alternativa, evoluindo em esferas de alternativas como é o caso de muitos Exús. Temos um paralelo, aliás com isto mesmo no Catolicismo; Querubins, Anjos, Arcanjos, etc. A função de muitos destes guardiões que têm tal como todos os espíritos graus distintos de evolução, pode ser nuns casos, de proteger os Terreiros e as pessoas que os frequentam,  de energias mais densas , noutros possibilitar as trocas de Axé entre o mundo natural e o Espiritual, auxiliando desta forma os Caboclos , Pretos Velhos, Crianças e outras entidades que dado o seu plano de existência se encontram distantes do manuseamento da matéria. Numa Gira de Umbanda, participam os nossos Ancestrais ilustres (Crianças, Caboclos, Pais velhos, etc), os Exus que os auxiliam directamente e os elementares mais diversos por eles evocados e mantidos. Todos temos Exu ? Sim, claro! Temos o nosso Bará , aquele que acolhe nosso espírito e que é o nosso Exu Pessoal! Temos Entidades protectoras conhecidas também como Exu, independentemente de estarmos em alguma religião Afro-Brasileira? Dificilmente , já que estes estão junto dos seus médiuns porque têm com eles uma ligação espiritual muito especial que provém da missão aceite pelo médium muitas vezes antes mesmo da vida presente e que o veícula a uma religião e a uma prática que antes de mais reconhece a sua existência e o reverência. Exu não é servo de Caboclos e Pretos-velhos como antigamente se pensava, ele é sim um trabalhador incansável que executa a sua missão única. No entanto tenho que ressalvar, que a Exú não deve ser atribuído o papel que os Guias e só eles devem ter! Guiar significa têr o controlo e a direcção e é neste ponto que a Umbanda se divide de outros cultos. A Exú deve caber o percorrer dos caminhos e aos Orixás, através de seus enviados, os Guias e Protectores, deve caber a direcção. A cabeça (Orí) e os pés (significando corpo= Bará ) não devem nunca estar trocados. Aos Mestres iluminados pedimos a luz para que nos mostrem os caminhos diante de nós e aos Exús pedimos a força para prosseguirmos! Existem de facto diferentes graus de evolução de Exús, tal como de outros espíritos, mas uma coisa devemos estar cientes: Exú de Umbanda, tem um comportamento digno e dignificante, embora mais ou menos brincalhão de carácter e não os devemos pois confundir com almas de pouca luz ou médiuns anímicos. A missão de Exú passa desapercebida aos olhos do público que assiste a uma sessão ou Gira , excepto quando assiste a uma gira de Esquerda e no entanto ele está sempre presente tal como estão muitas outras entidades ainda que forma oculta para aqueles que não conseguem vêr para além do plano material.

 

Laroiê, Exu! Exu é mojubá! - Mensageiro, Exu! Exu a vós meus respeitos!

 

Francisco de Ogum

Pai Pequeno do Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá

publicado por Terreiro Pai Oxala Mae Iemanja às 16:05 | comentar | favorito